ENTREVISTAS AOS ARTISTAS DO ESC2011 E DO FC2011! ENTREVISTA EXCLUSIVA A DARIA KINZER!


ENTREVISTA A DARIA KINZER (CROÁCIA, ESC 2011) 

Como começou a sua vida artística?
Essa é, de facto, uma história interessante. Como devem saber, tenho origens germânicas e, enquanto vivia na Áustria - terminando o curso de Gestão - mantinha a Croácia “debaixo de olho”, estando a par do que acontecia por lá. A determinada altura vi na Internet que a Croácia tinha implementado um novo tipo de concurso de selecção para a representação no ESC. Passavam a existir sete programas de TV, ao invés de dois como ocorria até então, pelo que me interessou a ponto de decidir concorrer. Estes foram os meus primeiros passos para uma “carreira artística” e estou a adorar. Vou começar a gravar o meu segundo single daqui a poucos dias e o meu primeiro álbum será lançado no Outono.

Costuma seguir regularmente o Eurofestival da Canção? Qual a música que mais a marcou?
Até agora, já assistir a imensos ESC. Tenho assistido durante anos e esta foi a primeira vez que fui uma das participantes. É uma grande oportunidade para promover um país, a sua música e cultura. Tanto quanto me lembro, a Croácia venceu em 1989. Tive oportunidade de conhecer a vencedora, Emilija Kokić, enquanto participava no Dora, e tenho que dizer que é uma excelente cantora e, claro, uma óptima pessoa. Mas também sou uma grande fã dos ABBA, pelo que aprecio muito a sua música “Waterloo”! É tão divertido ouvi-los e eles escreveram sucessos fantásticos.

Alguma vez sonhou ganhar a final Croata e ir ao Eurofestival da Canção?
Claro, eu penso que todos aqueles que se qualificam para as semifinais trabalham muito, dando o seu melhor. Pelo que todos esperam chegar à final, tendo boas hipóteses de vencer o ESC.

Como descreve a sua música?
A música croata deste ano chama-se “Celebrate”. É um pop moderno com bom ritmo, adequado para pessoas que gostam de festas e de sair, apreciando-se a eles mesmos e, claro, que gostam de celebrar. A música fala do facto de que devemos celebrar cada passo que damos!

Como foi a sua aventura na Eurovisão? Esperava um espectáculo tão grandioso?
Tive uma estadia fantástica em Düsseldorf, conheci muitas pessoas de diferentes países e, embora fossemos concorrentes, tornamo-nos bons amigos e divertimo-nos muito juntos. Todo o tempo de preparação foi incrível, tendo sido fantástico o sentimento de cantar naquele palco gigante em frente à sensacional plateia que estava na arena. Jamais irei esquecer esta experiência e estou muito orgulhosa, mesmo não tendo chegado à final. Mas estou contente por lá ter estado e essa é, para mim, a coisa mais importante.

O que mais marcou a sua estadia em Düsseldorf?
Nós chegámos no Sábado (duas semanas antes da grande final), pelo que tivemos a oportunidade de visitar a cidade, de ir ao centro comercial e, claro, de nos preparar para a semifinal. No Domingo tivemos o nosso primeiro ensaio, e a minha primeira impressão da arena… o palco e a sala da audiência eram incríveis, mesmo “uau”! O profissionalismo da equipa que trabalhava neste grande projecto também me impressionou.
Como o meu pai é alemão, eu nasci na Alemanha, tendo visitado muitas cidades deste país, mas quando cheguei tive a impressão de que Düsseldorf era uma cidade distinta. É cheia de pessoas, existindo muitos restaurantes pequenos e, claro, o rio Reno. Senti-me em férias (aparte da quantidade de trabalho diário que tinha).

À excepção da sua, quais eram as suas músicas favoritas a concurso?
Gostei imenso da musica da Malta – “One Life”. Conheci o Glen um mês antes do ESC, numa Eurovision Party no Amesterdão e tornamo-nos logo amigos. Espero reencontrá-lo em breve! As músicas de San Marino, Rússia, Polónia e Eslovénia eram igualmente fantásticas. Algumas das minhas favoritas alcançaram a final, mas outras não.

Considera que podia ter investido mais na sua actuação, ou foi como sempre tinha sonhado?
Penso que investimos imenso na nossa actuação – tivemos aquele truque com os vestidos e tentámos mesmo captar a atenção da audiência. Talvez isto tenha sido uma falha – quem sabe?! Nunca saberemos…

Apesar de ter cantado em inglês, acredita que os representantes devem cantar na sua língua nativa ou em inglês? Porquê?
Estou feliz por ter tido a oportunidade de cantar em inglês, uma vez que é uma linguagem universal e tal era importante para mim, dado que é um grande evento europeu.

Ficou decepcionada com os resultados da semifinal?
No início ficámos um pouco desapontados, mas no final do evento fomos para uma festa pós-concurso e divertimo-nos por lá. Teria sido perfeito se tivéssemos alcançado a final, mas, apesar de tudo, estou feliz por ter participado no Eurofestival da Canção.

O que achou da vitória do Azerbaijão?
Conheci o Ell e a Nikki, em Malta, um mês antes do ESC, uma vez que tivemos juntos em alguns programas de TV. Gostei deles desde o início, porque são ambos amorosos, com pés “assentes na terra”, por isso penso que mereceram vencer.

O que achou da participação dos Homens da Luta no ESC 2011?
Adoro-os! Ficámos no mesmo hotel durante os preparativos em Düsseldorf, pelo que nos víamos todos os dias e tirámos imensas fotos juntos! Eu penso que são todos muito simpáticos e pessoas fantásticas. Claro que também gostei da música, e achei interessante, não só a música em si, mas principalmente a mensagem! E isso foi muito corajoso!

Quão importante foi a sua experiência no ESC?
Foi a melhor experiência que já vivi e tenho mesmo saudades de Düsseldorf e de todos os participantes! Espero reencontrá-los. O Eurofestival da Canção foi o começo da minha carreira e tenho de agradecer a todos aqueles que me apoiaram durante todo o tempo.


Existem novos projectos para o futuro?
Primeiro, vou lançar o meu segundo single e o meu primeiro álbum na Croácia. Para além disso, também tenho alguns projectos na Alemanha e na Áustria. Informar-vos-ei assim que os terminar!

Espera regressar, um dia, ao Eurofestival da Canção?
Quem sabe?!
 

Entrevista realizada por Diogo Canudo e Andreia Fonseca.
17/07/2011

1 comentário:

  1. Bela entrevista da Daria, gostei da parte em que ela disse "a parte do mágico pode ter sido uma falha", na minha opinião foi, esperava outra coisa em palco daquela música, e acho que perdeu muito em alguns joguinhos dum lado pro outro, mas acontece. A parte em que ela gostou da musica maltesa lool no coment..,
    Parabéns Diogo e Andreia :D

    ResponderEliminar


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.