[Exclusivo] Entrevista a Suzy (Portugal - ESC 2014)


Suzy - Representante de Portugal na Eurovisão de 2014



Crónicas de Eurofestivais: Qual foi a primeira coisa em que pensou, depois de ouvir os apresentadores a dizerem que era a sua canção a vencedora?

Suzy: A emoção e a sensação de incredulidade foi de tal ordem que acho que tive uma branca emocional. Apesar de ter batalhado imenso para alcançar o maior número de votos e o agrado de todos os portugueses, acho que todos nós – a Catariana, a Zana, o Rui e a Raquel – demos tudo para ganhar. Todos merecíamos ganhar; os portugueses selecionaram-me e não posso deixar de lhes estar eternamente agradecida.


CE: Se soubesse de antemão que iria ser tão criticada como foi após a sua vitória, participaria no Festival?

Suzy: Obviamente que sim. As críticas, desde que construtivas, são muito importantes para mim e permitem-me crescer como artista e como pessoa.
O problema foi toda a maledicência e toda a calúnia que se seguiu. Esse pequeníssimo grupo, que não representa a população portuguesa, massificou essas difamações através das redes sociais, o que levou a que parecesse uma opinião generalizada, o que não foi, de todo.
Por isso, posso de facto dizer que participaria na mesma, uma vez que essas críticas são ínfimas comparativamente com todos os elogios que têm vindo a público desde o início dessa campanha difamatória.


CE: Quão importante foi o apoio dos fãs para ultrapassar toda a polémica que se gerou?

Suzy: Foi muitíssimo importante. Desde logo, o apoio incondicional da OGAE Portugal, mas também todas as mensagens que me chegaram pelas redes sociais de todo o país e do estrageiro, o que me deu força e me alimentou a vontade de vencer e representar com toda a garra e mestria o meu país na Dinamarca.
Sei de muitos fãs que não estavam a contar ir à Dinamarca e que decidiram posteriormente ir para me dar o seu apoio e carinho e mostrar indubitavelmente que os fãs e o público português está do meu lado e quer que Portugal singre no ESC.


CE: Segue a Eurovisão regularmente? Qual é a sua canção concorrente favorita de sempre?

Suzy: A Eurovisão e o Festival RTP da Canção estiveram sempre presentes na minha família. Lembro de nos juntarmos todos para ver e ouvir estes concursos. Ultimamente, tenho estado um pouco mais desligada, mas foi sempre um espetáculo que me atraiu bastante e que tive sempre vontade de participar um dia.
Existem muitas canções que passaram pelo ESC de que gosto muito. Desde logo, “Quedate conmigo” que se tornou já uma das canções que os fãs mais gostam de me ver interpretar e que quase sinto como minha (risos!).
Mas também não posso deixar de mencionar a fabulosa “Lusitana paixão” e a minha querida Dulce Pontes. Aliás, foi a sua atuação em Roma em 1991 que me fez sonhar com a possibilidade de um dia representar o meu país neste concurso.


CE: Como descreve a sua canção, “Quero ser tua”?

Suzy: “Quero ser tua” é uma canção fresca, ritmada e que mistura um grande número de influências musicais. Gosto de a descrever como uma canção com sabor latino, onde se sente o bater do coração de África e do Brasil.


CE: A letra da sua canção vai permanecer em português. Acha que Portugal deve continuar a apostar na língua nativa ou seguir a tendência dos outros países e apresentar uma canção em inglês?

Suzy: Eu gosto muito de cantar em português e parece-me a que essa regra deveria voltar ao ESC.
Uma das ideias inerentes à criação deste concurso é revelar a diversidade cultural europeia e transportar essa mesma diversidade além-fronteiras, dando força ao slogan “todos diferentes, todos iguais”.
Através da promoção que tenho feito, tenho constatado que a música é transversal à linguagem utilizada. A música e a interpretação mexem com as emoções, levando a que consiga transmitir a mensagem sem ser através de palavras, fazendo com que todos a entendam, mesmo que não domine a língua portuguesa.
É óbvio que cantando em inglês a mensagem é mais facilmente transmitida, mas tenho outras maneiras de o fazer e são essas que utilizarei no ESC.


CE: Podemos esperar alguma surpresa na atuação em Copenhaga? A sua performance já está definida?

Suzy: Já está definida, sim. Estamos a ensaiar a performance de palco.
Queremos que fique clara toda a ambiência inerente ao tema – a importância de Portugal e dos portugueses na descoberta do “novo mundo”.
Fomos nós que introduzimos novas culturas, novas ideologias e novas musicalidades na Europa do século XV. Nunca devemos esquecer a importância do império português na fusão cultual que se seguiu.
A performance de palco vai tentar recriar tudo isso: a nossa chegada a novas paragens e a inclusão de novas sonoridades musicais na música portuguesa.


CE: Como se sente quando aos adversários da semifinal em que Portugal ficou colocado?

Suzy: Estou numa semifinal com canções muito bem construídas, bastante variadas e com sonoridades muito diferentes. Canções que serão cantadas por 16 intérpretes fantásticos, que tenho vindo a conhecer e que apresentam a mesma paixão pela música que eu tenho.
Sinceramente, não os vejo como adversários. Vejo-os como colegas, com um objetivo comum e com os quais partilharei experiências e momentos inesquecíveis.
São sem sobra de dúvida, pessoas que se tornarão minhas amigas no futuro. Para além da Conchita Wurst, que somos já particamente inseparáveis, sinto uma enorme empatia pelo cantor montenegrino, Sergej Čerković – ele é um enorme amante do fado e como não conhecia a Ana Moura, decidi oferecer-lhe os últimos CDs desta fadista em Londres.


CE: Quanto às canções concorrentes à Eurovisão 2014, tem alguma favorita?

Suzy: Tenho. Neste momento tenho 37 canções favoritas (risos!). Gosto muito de todas e acho que todas têm algo de positivo.
Mas sabem qual é mesmo a minha favorita? A minha favorita é uma canção latinizada que fala de seremos uns dos outros. Sabem qual é? (risos!).


CE: O que espera ganhar com a sua experiência na Eurovisão?

Suzy: Pergunta difícil de responder. A minha experiência na Eurovisão, que começou logo no dia 15 de março à noite, tem sido inolvidável e de grande importância na minha carreira.
A partilha de experiências que têm ocorrido entre todos nós tem sido muito profícua e pertinente. Por isso, ganhei com este concurso grandes amigos e experiência profissional.


CE: Tem algum projeto para o futuro, após a Eurovisão?

Suzy: A curto prazo, a gravação do meu CD.
Um CD que incluirá uma canção composta por mim e alguns temas que estou a desenvolver com alguns nomes importantes do panorama musical português atual.
A longo prazo, estamos a desenvolver contatos que me permitam expandir a minha carreira além-fronteiras.


CE: Quer desejar uma mensagem aos fãs eurovisivos e aos leitores do blogue?

Suzy: Antes de mais, gostaria de agradecer todo o apoio que me têm dado e todas as mensagens de felicitações que me têm chegado através e vários meios. Estão todos no meu coração e têm sido importantíssimos nesta aventura.
Juntos seremos capazes de vencer obstáculos e representar condignamente o nosso país no ESC. Muito muito obrigada a todos!




 Imagem: eurovision.tv Vídeo: Youtube

20/04/2014


Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.