ESC'Divas - Sexto Texto: 'E quando as Divas são sex symbols...'


"E QUANDO AS DIVAS SÃO SEX SYMBOLS..."

Diva que é Diva tem que ser sexy! E foram inúmeras as divas que passaram pelo certame que esbanjaram sensualidade, poder, atração e bom gosto.


Helena Paparizou é a verdadeira deusa grega! Em 2005, Helena venceu a Eurovisão e foi considerada a diva do ano! A sua história de vida é muito cativante, e por isso, admiramos a mulher que é, e o talento que tem. Nasceu na Suécia, filha de emigrantes gregos, foi criada em Gotemburgo. Lá iniciou a sua carreira musical, apesar de, em criança, lhe ter sido detetado um problema respiratório crónico. Aos 16 anos decidiu parar de cantar, devido a um choque psicológico: um incêndio muito falado na altura, numa discoteca em Gotemburgo, onde faleceram 13 amigos de Helena, e onde ela não estava porque a sua mãe não a deixou ir à festa. Só mais tarde regressou à música por influência de um amigo de infância. A sua popularidade foi crescendo na Grécia e por isso representou o país no festival. Venceu com “My Number One”, fez tourné pela Europa, até participar no Melodifestivalen no ano passado. Nessa altura, e apesar de não ter vencido, foi evidente a vontade de muitos eurofãs de voltar a ver Helena nos palcos eurovisivos, desta vez representando o seu país natal.


Tal como Paparizou, Ani Lorak também tem uma história de vida comovente. Ani Lorak é uma das mulheres mais poderosas e influentes da Ucrânia e da Europa Ocidental, sendo intitulada como Artista do Povo. Ani cresceu com a sua mãe até aos 6 anos, quando juntamente com os seus irmãos foi para um lar. Um dos seus irmãos faleceu pouco depois. Mais tarde, Ani participou em vários concursos Russos. Adotou este nome artístico que descreve o seu nume biológico, Karolina, de trás para a frente. Desde cedo que queria ser cantora e o seu sucesso foi ascendendo, principalmente desde que se mudou para Kiev. Depois de ter tentado a sua sorte na Eurovisão, em 2005, Ani Lorak representou a Ucrânia em 2008 com “Shady Lady”, obtendo o honroso 2º lugar. Atualmente Ani é uma das cantoras mais ricas da Ucrânia.


Outra Artista do Povo Ucraniano é Mariya Yaremchuk, representante em 2014, e sexto lugar da edição. No seu caso, as questões políticas influenciaram o ótimo resultado obtido. A Ucrânia estava em guerra e toda a Europa estava solidária. No entanto, Mariya cumpriu bem o seu papel de diva: aliada a um conjunto originalmente bem conseguido em palco, a intérprete teve visualidade suficiente para ficar marcada na memória dos eurofãs.



Mantendo a linha das divas ucranianas surge Zlata Ognevich, que tentou representar o seu país em 2010 e 2011, só o conseguindo em 2013. Zlata nasceu na Rússia mas cresceu na Ucrânia. Atualmente vive em Kiev onde prossegue a sua carreira e a sua graduação em educação musical. Em 2013, Zlata apresentou o Festival Eurovisão Júnior, juntamente com Timur Miroshnychenko, quando a Ucrânia o sediou. Posteriormente viria a representar o país na Eurovisão em 2014, também após algumas tentativas. Zlata também se comoveu com a situação da guerra na Ucrânia e repugnou as suas origens russas, sendo por isso também uma diva defensora do seu país.


Representante da Grécia em 2008, Kalomira é uma cantora greco-americana de sucesso. Desde criança que Kalomira sonhava em ser cantora, e iniciou os seus estudos musicais nos EUA, onde nasceu e cresceu. Ficou famosa após a sua participação num programa de talentos na América. Após terminar a faculdade, Kalomira ganhou uma bolsa de estudos na Grécia, apesar de ainda não falar grego fluentemente. Seguiu-se um período de lançamento de álbuns e a sua carreira foi evoluindo. Na Eurovisão, Kalomira apresentou-se poderosa, bem vestida, provocante e muito carismática. A sua canção “Secret Combination” ficou no ouvido dos eurofãs, bem como a sua dança sensual. Atualmente Kalomira divide-se entre os EUA e a Grécia, uma vez que casou com um também greco-americano, sendo mãe de gémeos.


Ivi Adamou ficou conhecida após a sua participação no Factor X grego de 2010. Posteriormente assinou um contrato com a Sony Music e iniciou a sua carreira musical. Contudo, desde os 9 anos que a sua veia musical é evidente, sendo dona de uma bonita voz acompanhada do seu piano. Apesar de viver em Atenas, Ivi nasceu no Chipre e representou o seu país natal em 2012, com “La La Love”. Este foi um dos exemplos de uma canção que pouco dariam por ela, mas graças à sua apresentação em palco e principalmente à atitude, postura, indumentária, interpretação e sensualidade de Ivi, foi um sucesso. Hoje, continua a sua carreira pop, com influências em artistas de renome neste estilo musical, como Beyoncé e Christina Aguilera.


As divas “sexy hot” estão presentes em quase todas as edições do Festival Eurovisão da Canção. Sendo também um elemento muito importante para satisfazer os olhos dos telespectadores, e para criar um espectáculo visual à altura, a imagem física também influencia muito os resultados finais.


15/07/2015

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.