FBI Eurovisão - Terceiro texto: ditador espanhol impede vitória de Cliff Richard (1968)














Atenção! Chamem a FBI Eurovisão, ou calem-se para sempre! Neste artigo irão ser apresentados casos e conspirações, que, apesar dos anos, nunca foram concluídos. Muitos deles nem investigados! Será a Eurovisão um concurso musical exímio ou um evento dominado pela ditadura?

Durante anos, Cliff Richard tem vindo a ser foco de inúmeras notícias, seja pela sua música, seja pela vida amorosa, ou até pelos seus vinhos portugueses. No entanto, e após mais de quatro décadas, existe ainda uma ferida que teima em não sarar na carreira do cantor: o seu segundo lugar eurovisivo em 1968.

Esta derrota tem muito que se lhe diga, ainda para mais após uma curiosa investigação conduzida por terras espanholas, que deu origem a um documentário. Esta investigação, levada a cabo décadas após o ocorrido, veio sugerir que o ditador espanhol Franco fraudou a votação em 1968, garantindo que o cantor britânico, na altura com 27 anos de idade, não vencesse a Eurovisão, com o tema “Congratulations”.

De acordo com Montse Fernandez Vila, diretor do documentário denominado “1968: I lived the Spanish May”, Franco estava determinado a reivindicar a glória eurovisiva para terras espanholas. Mais ainda, Franco estava muito interessado em melhorar a imagem internacional da Espanha, facto que o levou a enviar executivos de TV corruptos por toda a Europa de modo a comprar votos durante o período de preparação para a competição. Vila chegou mesmo a especificar aquando de um entrevista: “É do domínio público que os executivos da Televisión Española viajaram pela Europa a comprar séries que nunca iriam ser transmitidas e a assinar contratos para concertos com grupos e cantores desconhecidos. Esses contratos foram traduzidos em votos”. 


No entanto, nem todos concordam com as afirmações do documentário, existindo quem afirme que a chave para o sucesso espanhol em 1968 residiu na promoção do tema, dando como exemplo a participação de Massiel num programa de TV germânico bastante popular. É importante considerar todas as versões da história, mas também é pertinente não esquecer que o tema de Cliff era apontado como favorito dos jurados da competição, realizada no Royal Albert Hall, tendo perdido o certame por apenas um ponto, após uma última ronda de votações favorável à Espanha.

Massiel foi transformada numa heroína nacional, com direito a festas em sua homenagem, potenciando uma imagem diferente do regime que imperava em Espanha. Este aparenta ser um caso onde uma vitória num concurso musical unificou um país, funcionando como um “trunfo” político.


Estas polémicas revelações levaram a que o próprio Cliff se demonstrasse satisfeito com a perspetiva de ser declarado como vencedor: "Eu vivi com este segundo lugar durante tantos anos, seria maravilhoso se alguém oficial do concurso se virasse e dissesse ‘Cliff, depois de tudo, ganhaste esse maldito'". No entanto, e tendo estas palavras sido verbalizadas em 2008, até a data nada foi declarado oficialmente, e a vitória continua em mãos espanholas.

No entanto, e apesar desta derrota, a música "Congratulations" teve ainda maior sucesso nas tabelas musicais internacionais. Ocupou o primeiro lugar na Bélgica, Irlanda, Holanda, Noruega, Reino Unido e até na própria Espanha! No entanto, e talvez por apenas mero acaso, no ano seguinte ganharam quatro países, em que estavam incluídos Espanha e Reino Unido. Mesmo com a derrota britânica em 1968, no ano seguinte puderam-se contentar com a segunda vitória no certame! Por mais que digam quem é realmente o vencedor de 1968, tanto Massiel como Cliff Richard marcaram a Eurovisão. As suspeitas permanecerão, mas estes dois artistas serão sempre relembrados como pontos fulcrais da Eurovisão Clássica.

Não perca, na próxima semana, um novo mistério eurovisivo...

07/10/2015

Imagem: Eurovision.de/Vídeo: escbelgium3

Autores:


Grafismo:

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.