[Especial] Melodifestivalen 2016: análise às canções finalistas


Melodifestivalen 2016: análise às canções finalistas

Realiza-se amanhã a final nacional mais esperada pelos fãs eurovisivos. De lá, já saíram estrelas como Loreen, Mans Zelmerlow, Charlotte Perrelli e tantos outros. Em 2016 pode vir a sair uma nova estrela, mesmo jogando a Suécia em casa. Nas casas de apostas, é o Frans e a Molly Sandén que estão à frente, mas estão 12 artistas a concorrer pela vitória. E só um, mas apenas um poderá ganhar. Aqui seguem as opiniões, música a música.

1. Panetoz - "Hall Om Mig Hart"



O grupo Panetoz já é bem conhecido nas terras suecas. Fiéis às suas origens africanas, "Hall om mig hart" é uma música descomprometida que se enquadra completamente ao que tem sido apresentado no Melodifestivalen nos últimos anos. Apesar de o grupo vocalmente ser coeso, a coreografia deixa um pouco a desejar - sendo que talvez a proposta de 2014 seja melhor. Não é uma música para vencer, como é óbvio - aliás, deve mesmo alcançar a classificação que tiveram em 2012, o 9º lugar. Porém, não deixa de marcar o evento pela diferença - de certeza que será um êxito de verão na Suécia.

Pontuação final: 4/10


2. Lisa Ajax - "My Heart Wants Me Dead"


Considerada uma das artistas mais esperadas para estar presente em 2016 no Melodifestivalen, Lisa Ajax não desiludiu os seus fãs. "My Heart Wants Me Dead" apresenta a melhor letra da edição, uma música comercial e radiofriendly. Os toques orientais iniciais demarcam logo a proposta e chamam a atenção de quem a ouve, no entanto é pena que os mesmos não se mantenham no decorrer da canção. Não é uma proposta vencedora, e deve ficar mesmo nos últimos lugares; porém, não deixa de ser uma proposta com valor, e visualmente em palco é muito interessante toda a sua apresentação (fazendo-me recordar um pouco da atuação de Robin Stjernberg em 2013).

Pontuação final: 7/10


3. David Lindgren - "We Are Your Tomorrow"


Admito que estou um pouco desiludido com David Lindgren este ano. Sendo um dos artistas suecos de que mais gosto e de que mais sigo a sua carreira, esperava algo melhor para o Melodifestivalen. Já é a terceira vez que David participa, por isso tinha que ser com algo que lutasse pela vitória. "We Are Your Tomorrow" é simplesmente um electropop, sem qualquer tipo de inovação - é uma proposta idêntica às suas anteriores, mas bastante pior! Apenas é importante e dignificante destacar a presença de palco de David Lindgren, a sua dança e a qualidade da sua voz - que deve ser mesmo o melhor cantor da edição.

Pontuação final: 6/10


4. SaRaha - "Kizunguzungu"


Há coisas que não entendo, e esta é uma delas. Apesar de a música e o seu instrumental serem viciantes e enérgicos, não é uma proposta inovadora - tem imensas semelhanças a "Haba Haba", de Stella Mwangi. Além disso, SaRaha, apesar de ter uma voz competente, parece não se enquadrar com o estilo musical, ficando por vezes muitas vezes estática em palco ou em estilo robot. Se a proposta chegou à final foi pelo seu instrumental, um pouco infantil e assim até mesmo apelando ao público mais jovem, e não pela sua intérprete. Isto nem merecia passar à final, sabendo que havia propostas melhores como a de Isa e Molly Hammar. E é pena saber que isto não vai ficar em último lugar na final do Melodifestivalen. Porque não vai mesmo!

Pontuação final: 1/10


5. Oscar Zia - "Human"


Posso dizer que estou bastante feliz pelo retorno de Oscar Zia. Nota-se claramente que Oscar quer afastar-se da sua imagem do passado, produzir uma mensagem e fazer-se ouvir no concurso, e mostrar que evoluiu na sua abordagem musical. Os efeitos visuais da apresentação são confusos e originais ao mesmo tempo, o que faz com que seja despertado o interesse pela proposta. Porém, e apesar de Oscar ter uma belíssima voz e uma forte presença de palco, o refrão tende a ser datado e pouco criativo. Não é que haja mal nisso, mas esperava-se mais de Oscar, sabendo à priori o valor que o cantor tem. Porém, boa proposta e uma das melhores deste ano. Merecia o top 5, e espero que isso aconteça... mas está difícil.

Pontuação final: 8/10


6. Ace Wilder - "Don't Worry"


Como já tinha saudades da minha querida Ace Wilder... Depois do estrondoso e verdadeiro vencedor de 2014 "Busy Doin' Nothin'", Ace Wilder repetiu a mesma receita e fez "Don't Worry". Apesar de não ser uma música-surpresa aos fãs, não deixa de ter valor. Nota-se que Ace investiu muito mais na sua apresentação visual e na sua abordagem corporal. Se "Don't Worry" concorresse em 2014 teria ganho a "Undo", mas como é enviada depois de existir "Busy Doin' Nothin'" perde o efeito surpresa e os fãs pensam que é "mais do mesmo". Porém, considero "Don't Worry" muito mais completa que a primeira e é talvez a principal rival de Frans. Se a SVT não permitir que Frans ganhe (que é bem possível, lembrem-se do caso Yohio), o troféu deve ir para Molly Sandén ou Ace Wilder.

Pontuação final: 9/10


7. Robin Bengtsson - "Constellation Prize"


Não conhecia Robin Bengtsson, mas fiquei bastante agradado pela qualidade que apresentou com "Constellation Prize". Trata-se de uma proposta bem pop contemporânea, com alguns toques instrumentais sombrios mas ao mesmo tempo comerciais. A apresentação de palco deixa um pouco a desejar, e uma sugestão seria ainda ter uma melhor produção de luzes. Não é uma proposta inovadora, talvez até um pouco datada, mas tem qualidade. Se isto ganhasse, seria uma proposta demasiado segura para a SVT. É preciso apostar este ano na segurança (concordo), mas não tanto. Deve ficar no top 5, e espero que o Robin regresse ao Melodifestivalen no próximo ano... dessa vez para vencer!

Pontuação final: 8/10


8. Molly Sandén - "Youniverse"



Muitos ficaram desiludidos com a proposta de Molly Sandén, que era considerada a provável vencedora mesmo antes de se conhecer a música. Apesar de todos sabermos que Molly Sandén é das artistas suecas que mais vende e que mais tem seguidores nas redes sociais, uma lição que devemos todos tirar é não criar grandes expectativas. E depois de uma desilusão, costuma haver a má língua. "Youniverse" é uma proposta agradável, moderna, e que, cantada pela fantástica Molly Sandén, é levada a um outro nível. Consegue aperceber-se que é uma música d'amor dedicada ao seu mais que tudo Danny Saucedo, vencedor do último grammy sueco. Lembram-se da vitória inesperada de Robin Stjernberg? Nesse ano, a SVT preferiu escolhê-lo por segurança, indirectamente, para o Yohio não ir à Eurovisão. Não acredito que o Frans também vá, por isso Molly Sandén e a Ace Wilder serão as vencedoras mais prováveis.

Pontuação final: 9/10


9. Boris René - "Put Your Love On Me"


"Put Your Love On Me" seria uma música impensável, dentro dos meus pensamentos, capaz de chegar a uma final do Melodifestivalen. Porém, é notório que oferece uma batida super viciante e animada. O melhor desta proposta talvez seja mesmo Boris René, que se enquadra completamente no estilo musical, tem uma excelente voz, dá vida à canção e o seu carisma é impressionante. Espero que o mesmo regresse ao concurso, com uma música mais moderna - e não tão datada. Deverá ficar pelos últimos cinco lugares da competição, no entanto não é a pior da final - longe disso!

Pontuação final: 5/10


10. Frans - "If I Were Sorry"


Não sei como "If I Were Sorry" é favorito. Talvez pelas últimas músicas lançadas do Justin Bieber que andam a correr todas as rádios pelo mundo fora, mas uma coisa é Justin Bieber, outra é Frans. Além de "If I Were Sorry" ser uma música demasiado simples, Frans tem uma voz bastante fraca e uma postura em palco demasiado desconstruída. Visualmente, a proposta é um desastre. Ao vivo, e cantada por Frans, também. "If I Were Sorry" é um hit radiofriendly, mas passado para o palco da Eurovisão não deverá ter o mesmo efeito e o resultado que os suecos tanto ambicionam (uma vitória consecutiva) não se vai concretizar. Aliás, se for à Eurovisão, deverá trazer uma classificação vergonhosa. Uma coisa é ter o carinho do público pela simpática e boa pessoa que é, mas isto é um concurso de músicas AO VIVO. Levar isto depois de um "Heroes" é dar um tiro nos pés. Esperemos que a SVT perceba isso e faça como fez em 2013.

Pontuação final: 2/10


11. Wiktoria - "Save Me"


"Save Me" também não encaixa na minha cabeça. Porque razão está na final do Melodifestivalen? Como é possível isto estar na final e a Isa não? É uma proposta pop country contemporânea, demasiado simples e bastante datada (talvez a mais datada da competição) - e que, para distrair o público da fraca qualidade da canção, puseram-lhe uns efeitos visuais em palco e... voilá! A voz de Wiktoria, bastante anasalada, não se enquadra no estilo da canção, e a sua postura em palco é enfadonha. Se não houvesse os efeitos especiais seria das músicas mais aborrecidas de toda a história do Melodifestivalen. Uma das piores do ano!

Pontuação final: 3/10


12. Samir & Viktor - "Bada Nakna"


Não sou propriamente fã de Samir & Viktor, aliás longe disso! No entanto, a proposta "Bada Nakna", com o passar do tempo, fez sentido para mim e já faz parte de uma das músicas que vou ouvir ao longo deste ano. Mereceram a passagem à final, sendo uma música mais original, como se fosse um hino moderno sueco, com uma apresentação em palco mais completa. Ao comparar "Bada Nakna" com "Groupie", além de me rir, só penso em como este duo evoluiu e como conseguiu marcar pela diferença o concurso. Não é uma proposta para vencer, mas é de longe uma das melhores do ano!

Pontuação final: 6/10


Comentários gerais: O Melodifestivalen 2016 apresenta um fraco reportório de canções, o mais fraco dos últimos seis anos. Qualquer música é pior que as vencedoras dos anos anteriores, e até mesmo de alguns 2º e 3º lugares, também dos anos anteriores. Espero vir a ser surpreendido com o vencedor de 2016, tal como aconteceu em 2013. Não acredito que Frans vença, porque se compararmos "Heroes" a "If I Were Sorry" seria uma descida de qualidade visual e musical drástica. As propostas mais seguras para continuarem a defender o bom nome do país na Eurovisão são mesmo Molly Sandén e Ace Wilder. Veremos...

Possíveis vencedores: Frans, Molly Sandén ou Ace Wilder.

Vídeos: Melodifestivalen - All Access
11/03/2016

2 comentários:

  1. Finalmente há alguém que tenha a coragem de dizer as coisas como elas são! Parabéns. Das melhores críticas que já li. Fernanda

    ResponderEliminar
  2. Ótimos comentários! O Frans no ESC seria horrível.

    ResponderEliminar


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.