Apreciações Musicais - ESC 2016: Macedónia



KALIOPI - "DONA"





André Sousa: Um instrumental um tanto ou quanto antiquando. Parece que já ouvimos isto imensas vezes, tanto nas novelas da TVI, como em discos antigos dos nossos pais. Parece que a Macedónia parou no tempo. 

Carolina Pinto: Muito bom. Muito moderno, uma balada/rock diferente das propostas apresentadas, mas não tem aquele brilho de vencedor. No entanto, um bom trabalho apresentado.  Gosto de toda a conjugação do calmo com o rock. Faz uma boa simbiose. 

Catarina Gouveia: Uma das minhas maiores divas da Eurovisão regressou com uma canção que ainda não me convenceu totalmente. Acho que enquanto instrumental não tem a mesma força da última participação da cantora, sendo que o que a faz sobressair-se é mesmo a interpretação.

Cláudia Peres de Matos: Se isto fosse apresentado por Portugal diria que é a típica balada popular portuguesa. Pessoalmente gostei mais de “Crno i Belo” em 2012 (e é inevitável a comparação). 

Diogo Canudo: “Dona” faz-me imenso lembrar algumas músicas românticas portuguesas da década 90. Apesar de ser super antiquada e muito pior que “Crno I Belo”, não deixa de ser uma boa música. O refrão é esplêndido e faz a cantora brilhar!

Elizabete Cruz: Esperava mais, muito mais. Isto é demasiado sem sal para o meu gosto. Não é que seja mau é só que... também não é nada de espectacular!

Jessica Mendes: Não sei se era por estar com as espetativas muito altas, mas esta canção desiludi-me. Não é que seja má, pelo contrário, mas falta-lhe um toque mais rock que a de 2012 tinha. 

Joana Martins: É interessante. É muito bom. Mas também é um pouco antiquado. 

Maria Silva: Demasiado calmo, demasiado “corta-pulsos” para mim. Não gosto.

Pedro Emídio: Não é fantástico, mas pelo menos é diferente do que costuma passar pelo palco do ESC. Adequa-se ao poema apresentado. 

Ricardo Mendes: Este ano, a Macedonia apresenta-nos um instrumental fresco, actual e orelhudo!  Uma boa aposta por parte da Macedónia. 


André Sousa: Quanto à voz, nada acresce. O que tenho a destacar de positivo é mesmo a interprete cantar na língua materna. No que toca a isso a Macedónia merece uma salva de palmas.

Carolina Pinto: É assim, que voz é esta?! Kaliopi já é conhecida pela sua voz rouca poderosíssima, mas isto é um abuso. Que brutal, confesso que na parte do refrão dei um pulo. Que voz estupenda, tanta personalidade numa só voz. Tão diferente, tão marcante. Top!

Catarina Gouveia: Obviamente, o ponto mais forte da canção. A Kaliopi é uma verdadeira artista, um autêntico furacão. Das melhores intérpretes do ano, sem dúvida. 

Cláudia Peres de Matos: Kaliopi tem uma excelente voz e tem a vantagem de já ter a experiência do palco eurovisivo. 

Diogo Canudo: : Kaliopi tem uma voz cristalina, sincera, com uma ótima pronúncia. É um gosto ouvi-la, uma mulher com um enorme talento.

Elizabete Cruz: Kaliopi tem uma excelente voz e tem a vantagem de já ter a experiência do palco eurovisivo. 

Jessica Mendes: Este é o ponto forte da canção. Kaliopi tem uma voz diferente e muito poderosa que enche o palco inteiro!

Joana Martins: A Kaliopi é diva. A Kaliopi é uma cantora estrondosa. 

Maria Silva: Uma voz forte. Talvez das mais diferentes do concurso, é um dos pontos mais fortes deste tema.

Pedro Emídio: Já não é a primeira vez que a intérprete concorre à Eurovisão, o público já conhece as suas capacidades vocais. Mais uma vez, não vai desiludir. Uma voz forte e bastante segura.

Ricardo Mendes: A voz da Kaliopi apresenta-se adequada ao tema e muito segura para o tema apresentado! Uma diva eurovisiva!!!


André Sousa: Só espero que seja algo bom. Tão bom quanto as montagens brilhantes do videoclip (risos).

Carolina Pinto: Não esperarei mais senão um show brutal. 

Catarina Gouveia: O carisma de Kaliopi preenche completamente o palco. Não precisa de grandes apetrechos.

Cláudia Peres de Matos: Gostava de ver Kaliopi novamente acompanhada para dar mais vida a esta balada. Mas prevejo que ficará sozinha em palco, com uma apresentação centrada na intérprete. 

Diogo Canudo: Penso que este é o melhor ponto para a Macedónia. A Kaliopi é um monstro de palco, dá tudo de si em cada atuação que faz, sabe como cativar e é sincera ao interpretar os temas.

Elizabete Cruz: Sinceramente não sei o que esperar daqui. A música não dá para grandes aventuras, portanto acho que vai depender do carisma de Kaliopi.

Jessica Mendes: Já vimos em 2012 que esta senhora enche o palco com a sua presença e por isso mesmo não acredito que a Macedónia precise de mais nada que não ela em cima do palco.

Joana Martins: Outra vez: é a Kaliopi. 

Maria Silva: Não sei o que este tema pode fazer, dança, mas nada muito complexo, porque a música também não o é.

Pedro Emídio: Penso que a cantora vai conseguir destacar-se entre o lote de concorrentes. A sua presença causa sempre impacto. 

Ricardo Mendes: A Kaliopi não precisa nada muito com esta música, pois a canção em si já é suficiente para ter uma presença fabulosa em palco.


André Sousa: Uma letra bonita. Lá isso é verdade. 

Carolina Pinto: Não percebo patavina, mas parece ser emocionante. E acredito que os países devem cantar na língua mãe, para além de representarem os seus países dão outro brilho e originalidade ao tema. 

Catarina Gouveia: Um poema lindíssimo, maravilhosamente escrito pela própria Kaliopi.

Cláudia Peres de Matos: Não consigo interpretar muito bem esta letra. Mas já consegui aprender uma expressão nova na Macedónia: “gledaj me” está sempre presente nas letras deste país, que significa, “olha para mim”. 

Diogo Canudo: “Dona” apresenta uma letra de agradecimento da cantora a alguém, de forma sentida e verdadeira. Apesar de não ser poesia, é suficiente. Cantada na língua nativa ainda soa melhor!

Elizabete Cruz: Não sei quem é a Dona, mas ela realmente deve estar feliz por ouvir tantas vezes o nome dela. A letra é extremamente repetitiva e só ganha pontos por não ser em inglês.

Jessica Mendes: Faz-me impressão que metade da canção seja com ela a dizer “Dona”. Além disso, mesmo as restantes partes são muito repetitivas. Parece que se cansou de escrever a letra a meio e como ninguém percebe o que ela diz, fez tudo igual.

Joana Martins: Cantam em Macedónia. Tal chega-me. Mas um refrão repetitivo.

Maria Silva: Tem uma letra fora, e o facto de ser na língua materna não ajuda.

Pedro Emídio: Parabéns por não se renderem ao inglês. A intérprete consegue expressar a intensidade das palavras sem ter que cantar numa língua “universal”. 

Ricardo Mendes: Letra bem elaborada e com refrão bem orelhudo.


André Sousa: É daquelas canções que não sei qual o futuro que vai ter.

Carolina Pinto: Não é um candidato à vitória final, mas no top 15 certamente ficará.

Catarina Gouveia: Infelizmente, poderá ficar-se pela semifinal. A passagem será uma surpresa agradável.

Cláudia Peres de Matos: Não vejo poder suficiente nesta proposta para que tenha presença na final. 

Diogo Canudo: Bottom 5 da final.

Elizabete Cruz: Não sei se a Kaliopi consegue de novo o lugar na final.

Jessica Mendes: Qualifica-se por estar na semifinal mais fraca, mas não conseguirá grande lugar na final.

Joana Martins: Espero que passe à final. Pode surpreender na semifinal . 

Maria Silva: Um lugar  no meio da  tabela. 

Pedro Emídio: Tem qualidade mais do que suficiente para conseguir receber uma boa pontuação.

Ricardo Mendes: Passará à final, sem problemas.


André Sousa: 4 pontos

Carolina Pinto: 10 pontos

Catarina Gouveia: 7 pontos

Cláudia Peres de Matos: 3 pontos

Diogo Canudo: 4 pontos (custou-me dar esta pontuação, a cantora é fantástica, a música não).

Elizabete Cruz: 4 pontos

Jessica Mendes: 6 pontos

Joana Martins: 7 pontos 

Maria Silva: 8 pontos

Pedro Emídio: 8 pontos 

Ricardo Mendes: 10 pontos

Total: 71 pontos


André Sousa: Se há coisa que gosto nisto é mesmo os grafismos do videoclip. As montagens são fantásticas e confesso que só vejo e ouço a canção por isso.

Carolina Pinto: Kaliopi,  empresta-me a tua voz! 

Catarina Gouveia: A fasquia estava demasiado alta para esta canção.

Cláudia Peres de Matos: A Kaliopi anda de cavalo para burro?

Diogo Canudo: Como é bom ouvir um talento como a Kaliopi, mais uma vez!

Elizabete Cruz: Porque é que estes regressos nunca são regressos em grande?

Jessica Mendes: Volta ano de 2012!

Joana Martins: Isto vale a pena porque é a rainha Kaliopi. 

Maria Silva: Dona Dona Dona, vai-te  emboraaa!

Pedro Emídio: Marca pela diferença, a intérprete é expressiva e vai conseguir arrasar em Estocolmo. 

Ricardo Mendes: Donut, Donut, Donut?  Kaliopi vai um Donut?



 Rússia - 113 pontos; 2º Chipre - 101 pontos; 3º Hungria - 99 pontos;  Austrália - 88 pontos;  Bósnia & Herzegovina - 84 pontos;  Islândia - 83 pontos; 7º República Checa - 83 pontos;  Azerbaijão - 80 pontos;  Letónia - 79 pontos; 10º Arménia - 78 pontos; 11º Malta - 77 pontos; 12º Estónia - 75 pontos; 13º Holanda - 71 pontos; 14º Macedónia - 71 pontos; 15º Croácia - 70 pontos; 16º Lituânia - 70 pontos; 17º Israel - 70 pontos; 18º Irlanda - 62 pontos; 19º Bielorrússia - 41 pontos; 20º Moldávia - 41 pontos; 21º Áustria - 40 pontos; 22º Finlândia  - 39 pontos; 23º Grécia - 39 pontos; 24º Montenegro - 30 pontos25º São Marino - 5 pontos.

Vídeo: Eurovision.tv
10/04/2016

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.