[Especial] Os motivos para estarmos ansiosos pela Eurovisão!


Atenção, este especial contém altas doses de ironia e sarcasmo!

O Festival Eurovisão da Canção está mesmo, mesmo aí à porta e nós por aqui já não nos aguentamos de entusiasmo. Será que os nossos favoritos vão ter uma boa prestação? Será que se vão classificar para a final? Ou será que vamos sofrer um valente ataque de vergonha alheia? Poderá aquele que nós adoramos ser o vencedor deste ano? A excitação é muita e, como tal, resolvemos partilhar convosco aquilo que nos está a aumentar o entusiasmo de forma exponencial. De certeza que se vão sentir identificados!

1. Descobrir como é que o IVAN chegou ao mundo


Ficámos obviamente muito tristes quando percebemos que o cantor bielorrusso, IVAN, não se iria apresentar nu, porque, sinceramente, estávamos ansiosas para avaliar a sua forma física. Mas qual não foi o nosso espanto quando vimos durante o ensaio o homem nu nos LED! É motivo para ficarmos logo entusiasmadas de novo! O nosso único medo é que na imagem eles tenham valorizado algumas partes ao moço que não correspondem à realidade. Achamos que seria de muito mau tom enganar aqueles que, como nós, mal podem esperar por este momento.


2. Os Baltic Boys




Percebemos que a taxa de desemprego aumentou exponencialmente entre os fãs da Eurovisão quando entramos no Tumblr ou no Youtube e só vemos vídeos e memes dos Baltic Boys. E o que é isto? Basicamente, alguém sem vida que não consegue ver três moços giros na frente decidiu que era engraçado criar relações imaginárias entre os representantes da Letónia, Lituânia e Estónia. E a moda pegou, porque isto já é viral! Nós por cá adoramos ver imagens e vídeos, até porque só nos rimos, e estamos a torcer para que haja Baltic Boys na final ou que, pelo menos, haja um romance a três para deixar os fãs deste ship felizes. Com Baltic Boys ou sem Baltic Boys na final, fica para ver mais tarde estas imagens e vídeos que são em tudo muito errados.


3. Um astronauta na performance da Moldávia



Nesta edição do festival também teremos uma canção que fala de estrelas cadentes e, adivinhem, a mais brilhante estrela cadente é um astronauta. Sim, leram bem, um astronauta, que terá um momento romântico com a intérprete e de repente é tirar o capacete para passar a abanar o seu próprio capacete. Só não temos é a certeza de que este não passa de um membro dos Who See, que interpretaram “Igranka” em Malmo na Eurovisão de 2013, que se esqueceu de voltar para a sua terra. A julgar pela qualidade desta proposta, um foguetão irá aterrar em Estocolmo na próxima terça-feira e irá levar Lidia Isac e o seu lunático dançante para bem longe da final. 


4. A fantástica voz da Samra



Da última vez que fomos ao psicólogo disseram-nos que tínhamos graves prolemas de masoquismo e talvez a nossa excitação para ver esta prestação ao vivo se deva um pouco a isso. Mas como podemos não estar ansiosas para ver tamanha voz a acertar as notas todas e a dar-nos um espectáculo vocal que não se vê todos os dias? Acreditem, temos a certeza que vai ser um momento histórico! De qualquer forma, compramos uns tampões de ouvido todos estilosos para quando a dor se tornar insuportável. Eles também precisam de ser estreados e achamos que o momento não podia ser mais apropriado.


5. Os bons genes de Sergey Lazarev


Há muito tempo que a Eurovisão deixou de ser um festival onde a canção é o elemento protagonista. A vida já é demasiado triste para perdermos o nosso pouco tempo a pensar em canções que falam de guerras, preconceitos e de amores fracassados. O que se quer é representantes que nos ofereçam brilho aos olhos. E eis que nos chega, directamente de Moscovo, Sergey Lazarev, que nem o seu nome sugestivo faz com que o mulheredo por esta Europa fora não se apaixone. Só tem um defeito: irá atuar vestido dos pés ao pescoço. Definitivamente, a ideia de aparecer nu com lobos foi para a pessoa errada.


6. O fato-de-banho de Iveta Mukuchyan


Conhecem a dica "take her swimming on the first date", ou seja, atira-a para a piscina no primeiro encontro, para que os homens tenham a certeza de que não se estão a apaixonar por uma carinha com 10kgs de maquilhagem? A Iveta levou o conselho demasiado à letra, optando por atuar com um fato de banho, mas também com uma capa, não vá o diabo tecê-las com as previsões meteorológicas, não queremos que esta amiga vinda da terra das Kardashians apanhe um resfriado. Ou será que pensou que o festival deste ano iria realizar-se no Brasil? Uma coisa é certa: só na Eurovisão é que se vê alguém rodeado de labaredas enquanto usa um fato de banho, a cantar sobre uma “onda de amor”. Absolutamente fascinante.


7. Os 12 pontos portugueses para a Barei



Se há algo pelo qual ansiamos sempre na grande final são as votações do nosso país (até porque ultimamente não podemos ficar ansiosos com as nossas músicas). Parece que a Barei também está ansiosa pelos pontos portugueses, mesmo que Portugal não participe. Para a representante espanhola, nós somos tão relevantes que votamos mesmo sem participar. E damos os 12 pontos a Espanha. Porquê? Não, não é por serem nossos vizinhos. É por aquele passo de dança absolutamente inovador que a Barei traz ao palco eurovisivo e que nunca antes foi feito por alguém chamado Kurt Calleja. Mal podemos esperar por ouvir a Joana Teles a dizer "and our 12 points goes to... Spain".


8. Qual será o casaco que o Justs vai usar?


Esta é, basicamente, uma das grandes questões que assolam a humanidade. Pessoas atentas, tipo nós, já repararam que o Justs, representante da Letónia, tem apenas três casacos no armário, casacos esses que provavelmente comprou na feira numa promoção de leve 3 e pague 1, porque eles são praticamente iguais. Mas qual será o grande escolhido, perante tanta variedade, para subir ao palco na quinta? Já o vimos com o laranja na final nacional e na cerimónia de abertura, já o vimos a ensaiar com o preto, será o vermelho o grande escolhido para quinta porque os outros estão na máquina de lavar? Façam as vossas apostas!


9. Perceber porque é que vermelho é vermelho e azul é azul e porque é que estas cores não se misturam



Lembram-se de estar na escola primária e aprender as cores primárias e secundárias? Parece que na Eslovénia a instrução primária está estruturada de maneira diferente e, por isso mesmo as cores secundárias não se aprendem, caso contrário ManuElla saberia que vermelho com azul dá roxo. Mas atenção, "Blue and Red" pode parecer uma música cujo conteúdo serviria apenas como música de fundo para um Benfica vs. Porto, mas não é. A proposta eslovena é também um hino a todos quantos convivem com daltónicos e ouvem constantemente coisas como "isso é verde" e tem de responder "não, isto é azul porque azul é azul e verde é verde".


10. O fantástico estilo da cantora alemã


A Euovisão é também um espectáculo de tendências, onde podemos claramente tirar ideias para a roupa que vamos usar no próximo casamento a que formos. É por isso que estamos tão entusiasmadas para ver o que nos vai trazer Jamie-Lee! Como serão os enfeites da cabeça? E o vestido? Teremos nós capacidade para usar algo tão maravilhoso no dia-a-dia? Não cremos nisso, mas que ficamos invejosas, com certeza ficamos! Realmente, estilo e personalidade não é para todos e nós não temos disso. Vamos só então ficar a torcer para que as pessoas entendam a magnificiência disto e não votem na pobre coitada no Barbara Dex Award. Não sejam invejosos porque também não têm estilo, sim?


11. O mistério entre os folhos do vestido de Nina Kraljić




E da saga "A Eurovisão dita tendências" chega a representante da Croácia. Engane-se quem alguma vez pensou que o cabelo cortado à chapada – desculpem, impecavelmente cortado para fazer lembrar as ondas do mar - de Nina ia ser o pior desta proposta. Durante o primeiro ensaio ficámos todos horrorizados com a capa que Nina vestiu, com um “colarinho” a relembrar uma armadilha da saga de filmes do Saw - Jogos Mortais. Engane-se quem pensou que Nina, ao ser-lhe retirada a capa na passagem para o primeiro refrão, iria estar a usar um vestido bonito. Surpresa das surpresas, a representante croata decidiu arrasar-nos a todos vestida de galinácea dos mares que resolveu brindar-nos com um show de transformismo. A questão que se coloca é: o que esconderá Nina naqueles mantos de folhos e plumas?


12. A originalidade no uso de projeções e 3D mapping


Islândia, Rússia, Bielorrússia, Bulgária, Malta, Ucrânia, e a lista continua. A Eurovisão de 2016 será certamente lembrado por ter músicas genialmente medíocres que optaram por apostar o dinheirinho numa atuação marcante. Hologramas, 3D Mapping, projecções e vestidos com luzes. Dizer que este será um ano vincado pela originalidade seria o mesmo que estar a dizer que o Måns Zelmerlöw não se inspirou num cenário feito primeiramente pela Beyoncé há uns anos, mas que este será um ano que nos vai encher os olhos, disso ninguém tem dúvidas!


13. As jaulas cipriotas




Esta é a prova de que na Eurovisão tudo é possível! Chipre no ano passado presenteou-nos com uma música excelente para combater insónias e este ano traz-nos um monte de gente presa em jaulas. Ainda há pouco tempo a RTP emitiu uma reportagem a falar de espaço para prisioneiros nas prisões portuguesas. Montem umas jaulas no MEO Arena e resolve-se parte do problema. E, já que Chipre vem para solucionar problemas este ano, podem deixar a jaula em palco para o país que atua quase a seguir, senão continuem a ler este texto.


14. O olhar de serial killer do Jüri Pootsmann



Diz a NOS que há linhas para separar tudo. Nunca nos tínhamos apercebido do quão ténue pode ser a linha que separa o "estou a tentar fazer um olhar super sexy" do "pareço um assassino". Felizmente está cá o Jüri para nos provar isso mesmo! Dizem que "Play" é uma música de amor. Errado! "Play" é um hino daqueles serial killers que aproveitam uma ida a um bar para engatar a sua próxima presa que aparece no dia seguinte a flutuar num rio em Miami com o Horatio Caine a fazer uma piada sarcástica enquanto põe os óculos de sol. 

15. Tudo o que diz respeito a São Marino



Deixámos o melhor para o fim! São Marino pode não ser o país preferido dos eurofãs, mas este ano esmerou-se. Serhat é... nem sabemos bem descrever. Quem se "derrete" a ouvir sotaques britânicos é porque nunca ouviu o Serhat a cantar inglês. A mudança para a versão disco de "I Didn't Know" fez-nos apaixonar por São Marino, mesmo que isso signifique a perda do monóculo do videoclip original. Desde o vídeo nada descoordenado, à seriedade com que Serhat encara esta música, tudo é perfeito. É pena estar na semifinal mais complicada porque no fundo, as nossas mentes dizem-nos que não queremos San Marino na final, mas os nossos corações querem muito que isso aconteça para dançarmos novamente ao som de "I Didn't Know".


Imagens: Eurovision.tv, Life after Helsinki, buzzfeed, listal, wiwibloggs, PulseMusic, Eurovision Questions, /Vídeos: Baltic Boys, Eurovision.tv
09/05/2016

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.