[Crónica]: o regresso do Festival RTP da Canção


Olá Europa, daqui fala Portugal: estamos de volta!

Bem, a hora para falar sobre o nosso regresso chegou, e eu vou tentar criar uma imagem clara sobre o nosso antecipado retorno à Eurovisão. Por que devem atentar à minha opinião? Isso é algo que terão de julgar até o final deste humilde texto.

Eu sou eurofã desde que me lembro, e sempre sofri com os maus resultados portugueses... Choro ainda mais com os nossos persistentes maus resultados eurovisivos do que com as derrotas e recentes vitórias (!!!) da nossa equipa nacional de futebol - sim, temos o Cristiano Ronaldo e, já agora, a irmã dele não é uma grande cantora, verifiquem vocês mesmos.

Este foi um ano triste, não participámos no certame, porque o nosso serviço público de radiodifusão - RTP - preferiu gastar o (nosso!) dinheiro em futebol e concentrar-se em novos conteúdos (basicamente, em programas de “caça talentos”... uau, certo?!). A revelação da sua súbita mudança de planos, com a compra dos direitos de transmissão do ESC 2016 foi bem recebida, mas deixou-me com algumas dúvidas. Por que motivo a EBU deixou-nos comprar os direitos de transmissão a um preço especial? Para aumentar o número de telespectadores? Nós somos tão poucos, já que a maioria da nossa população deixou o país para trabalhar para o estrangeiro, e aqueles que permanecem preferem ver reality shows. Terá esta ação sido motivada com promessas de um regresso “poderoso”? Esta nunca é uma grande possibilidade quando se trata de Portugal… Não somos a Itália.


A verdade é que algumas pessoas da RTP falam de um regresso forte em 2017. Até o nosso comentador oficial do ESC 2016 passou quase todos os shows a falar sobre o grande regresso que o nosso país vai protagonizar, com um forte plano que já está a ser preparado. Parece que algumas reuniões foram realizadas, e há uma clara intenção de surpreender. Isto é maravilhoso, não é? Bem, eu estou um pouco cética e vou explicar porquê.

Este discurso não é novo, ouvimos a história do "grande plano" antes e não correu bem. Já em 2005, a RTP alegadamente "enlouqueceu" e tentou algo novo (não necessariamente bom!), tentando aumentar o interesse dos nossos telespectadores. Eles tentaram criar um novo formato, uma performance ousada, pelo menos em teoria, porque o que aconteceu foi algo totalmente diferente. Convidaram alguns compositores bem conhecidos por composições eurovisivas anteriores (lembram-se da "Lusitana Paixão"?), mas o resultado esteve longe de ser perfeito. Amador é um bom termo para definir o instrumental. Eles também convidaram um coreógrafo famoso, que tentou o seu melhor para criar uma coreografia original, que não conseguiu ligar-se à música, acabando por se tornar num completo fracasso. Os cantores, embora competentes, eram quase desconhecidos na altura (agora eles têm carreiras nacionais relativamente boas), e tiveram a difícil tarefa de cantar algo completamente estúpido - por favor, leiam a letra e pensem. A principal mudança, além da completa falta de instrumental, foi o refrão em inglês, foleiro, mas pelo menos permitiu que os outros nos compreendessem. Talvez vocês já nem se lembrem desta música, e isso é um claro sinal de que foi um completo fracasso (17º na semifinal).



Este exemplo é a principal razão pela qual não posso acreditar ingenuamente no que diz a RTP. Portugal tem um registo desastroso na Eurovisão, e eu não vejo uma possibilidade clara para que isso mude. Talvez a RTP venha a convidar alguém com potencial para nos surpreender e a toda a Europa. Talvez eles voltem à velha fórmula e organizem o Festival da Canção, arriscando enviar mais do mesmo.

Eu não sei o que vai acontecer, tento manter um pouco de esperança, mas como eu disse anteriormente permaneço cética, porque há uma história e não é ótima para nós. Nem tudo é mau, eu acredito que Portugal tem apresentado boas canções, provando que podemos criar boa música. Com o passar do tempo, começámos a desinvestir, sentimo-nos desvalorizados e começámos a enviar o pior lixo possível – lembram-se dos Homens da Luta? Pois é; nós já enviámos canções com mensagens políticas, mas não com a qualidade da música de Jamala... Nem sequer metade.

Bem, é isto pessoal. Pelo menos temos o Algarve, no qual todos são bem-vindos. Esperamos encontrar-nos em 2017, e eu ficaria muito feliz se tiver de admitir que estava errada. Seria ótimo ter todos os eurofãs em Portugal, e tenho certeza de que teriam um grande evento aqui, onde todos poderiam expressar a sua individualidade livremente na nossa paixão comum: a Eurovisão!


ENGLISH VERSION

Hello Europe, this is Portugal calling: we’re back!

Well, the time to talk about our comeback has come, and I will show you a clear picture about our most-wanted return to Eurovision. Why should you care about my opinion? That’s for you to judge by the end of this humble text.

I’m an eurofan since I can remember, and I always suffer with the poor Portuguese results… I cry even harder with our persistent Eurovision bad results than with the losses and recent winnings (!!!) of our football national team – yeah, we have Cristiano Ronaldo and, by the way, his sister isn’t a great singer, check yourself.

This year was a sad one, we didn’t participate in the contest, because our public service broadcasting – RTP – preferred to spend it’s (our!) money in football and focus in new contents (basically, in talent shows… wow, right?!). The revelation of their sudden change of plans, buying the rights of transmission of the Eurovision 2016 was well received, but left me with some doubts. Why should the EBU let us buy those rights with a special price? To increase the number of TV viewers? We are so few, since most of our population left the country to work for you, and those who remain, mainly, prefer reality shows. Was it a move motivated with promises of a powerful return? That is never a great possibility when it comes from Portugal, we’re not Italy.


The true is that some people from RTP are talking about a strong return in 2017. Even our official commentator in the Eurovision 2016 spent almost all the shows speaking about the great return that our country will make, with a strong plan that is already been prepared. It seems that some meetings were held, and there’s a clear intention to surprise. That’s wonderful, isn’t it? Well, I’m a little bit sceptic and I will explain you why.

This speech isn’t new, we heard the “great plan” story before and it didn’t go well. Back in 2005, RTP allegedly “went nuts” and tried something new (not necessarily good!), trying to increase the interest of our TV viewers. They tried to pull out a new format, a bold performance, at least in theory, because what went down was something totally different. They invited some composers, well known from previous Eurovision compositions (remember “Lusitana Paixão”?), but the result was far from great. Amateur is a good term to define the instrumental. They also invited a famous choreographer, that tried his best to came up with an original choreography, that failed to connect with the song, and turn out to became a complete failure. The singers, although competent, were almost unknown by the time (now they have relatively good national careers), and they had the hard task to sing something completely stupid – please, read the lyrics and think about them. The major change, a side the complete lack of instrumental, was the English chorus, cheesy but at least you could understand something that we sung. Maybe you didn’t even remember our song from 2005, and that is a clear signal that was a complete failure (17th in the semi-final). 


This example is the main reason I can’t naively believe in what RTP says. Portugal has a disastrous record in Eurovision, and I don’t see a clear chance for that to change. Maybe RTP will invite someone with potential to surprise us, and all the Europe. Maybe they will return to the old formula and organize the Festival da Canção, risking sending the same old type of songs. 

I don’t know what will happen, I maintain a slightly hope, but as I said before I remain sceptic, because there’s a history, and it isn’t great for us. Not all is bad; I believe that Portugal has shown good songs, proving that we can create good music. With passing of time, we started disinvesting, we felt unappreciated and started sending the worst garbage possible – remember Homens da Luta? That’s right; we already sent songs with political messages, but not with the quality of Jamala’s song… Not even half.

Well, that’s it folks. At least we have Algarve, so you’re welcome. Hope to see you in 2017 and I would be extremely happy if I have to admit that I was wrong. It would be great to have all of you in Portugal, and I’m sure you would have a great time here, being able to express your individuality freely in our common passion: Eurovision!

Imagem: media.rtp.pt e quinto-canal.com
29/07/2016

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.