ESC Hit List: as 20 músicas mais marcantes do século XX e XXI


É incrível ao pensarmos que o certame que mais adoramos neste mundo tem mais de 60 anos. E, ao longo destes 60 anos, incríveis atuações e músicas passaram pelo palco eurovisivo. Nesta publicação juntamos as 20 músicas que, a nosso ver, são as mais marcantes da história deste gigantesco festival.

1. Johnny Logan - "Hold Me Now" (Irlanda, 1987)


Não podíamos começar doutra forma. Johnny Logan, o Mr. Eurovision, brindou os fãs eurovisivos com 3 vitórias incríveis (uma delas como compositor). "Hold Me Now" foi uma dessas vitórias e é uma música obrigatória em qualquer playlist eurovisiva que apareça em qualquer parte do mundo. Além de ter uma letra bastante romântica, faz lembrar as grandes baladas que se faziam no século passado. A par disto, Johnny foi um dos principais responsáveis pelo sucesso que a Irlanda teve no concurso nos anos 80 e 90, e continua a ser um dos mais aplaudidos e lembrados pelos admiradores do eurofestival.

2. Sandra Kim - "J'aime La Vie" (Bélgica, 1986)


Lembram-se desta pequenina que passou pela Eurovisão? Quando ocorreu tinha apenas 13 anos (e não 15 como afirmava antes da vitória), e não foi isso que a impediu que lhe tirassem o troféu eurovisivo - justo e seu por direito. "J'aime La Vie" é uma música animada, ritmada e que deixa, hoje em dia, qualquer pessoa bem disposta. Além disso, foi a única cantora que conseguiu entregar à Bélgica uma vitória num concurso. É caso para dizer: de pequenino se torce o pepino!

3. Dana International - "Diva" (Israel, 1998)


Não há palavras quando nos lembramos da vitória de Dana International. Aconteceu em 1998, no fim do século passado e com as imensas guerras que aconteciam (e que acontecem) em todo o mundo. "Diva" foi uma música que revolucionou o cenário musical europeu e o concurso em si. Muitos eurofãs dizem que a Eurovisão começou a modernizar-se com esta vitória, e que o concurso é o que é devido ao espetáculo provocado pela fantástica Dana. Seja como for, a vitória de Dana International, que era bastante criticada pela sua mudança de sexo, foi uma chapada de luva branca a todos, e uma mensagem de paz (ou esperança dela) para o mundo inteiro.

4. Secret Garden - "Nocturne" (Noruega, 1995)


Muitos dizem que "Nocturne" é a melhor vitória de sempre da Eurovisão. Além de a Noruega ter sido um dos poucos países a impedir as vitórias irlandesas no ESC, foi uma lufada de ar fresco com a qualidade que apresentou. "Nocturne" apenas tem 24 palavras para serem cantadas, mas não foi pela falta de letra que a vitória não lhe foi entregue. Quando o instrumental entoa, os telespectadores são levados pela magia que o mesmo transmite. Fantástica música, Noruega!

5. Marie Myriam - "L'oiseau et l'enfant" (França, 1977)


Apesar de termos um carinho especial pela Marie Myriam, por ser a única "portuguesa" a ter ganhado o festival, não foi pela questão da nacionalidade que ela se tornou célebre. Após anos de músicas animadas vencedoras, ganhou "L'oiseau et l'enfant", que apresentava um instrumental e uma letra antiquados - mas ao mesmo tempo memoráveis pela sua grandiosidade. Além disso, não nos podemos esquecer que foi a última vitória da França no concurso!

6. ABBA - "Waterloo" (Suécia, 1974)


Ter os ABBA nesta lista não é surpresa nenhuma. O grupo célebre sueco que se popularizou após o ESC pelo mundo fora é obrigatório em qualquer playlist eurovisiva. Além de terem destaque ao concurso pelo seu impacto, foram um dos maiores grupos da música pop em todo o mundo. Já agora, em 2005, "Waterloo" foi eleita pelos fãs eurovisivos como a melhor música de sempre do concurso. E como recordar é viver, façam o favor de ouvir esta fantástica canção...

7.  Lúcia Moniz - "O meu coração não tem cor" (Portugal, 1996)


Pode não ser a música eurovisiva mais marcante para todos os eurofãs, mas é para nós, portugueses, por ser a música portuguesa com o melhor resultado no certame até à data. É difícil, mas lá no fundo todos queremos acreditar que este 6º lugar pode ser igualado ou até mesmo ultrapassado, com empenho e esforço na nossa participação!

8. Brotherhood of Man - "Save Your Kisses For Me"



Recordando os tempos em que o Reino Unido não era uma nódoa no festival, existem muitas músicas enviadas pelo país que rapidamente vem à memória dos eurofãs. Esta, dada a sua simplicidade, é tão fofa que se torna com certeza numa das preferidas dos fãs do concurso. Para além disso o sucesso da música após a vitória foi notório e não é à toa que a música hoje ainda é cantada quando o grupo se junta e ainda faz as delícias de quem a ouve. 

9. Paulo de Carvalho - "E depois do adeus" (Portugal, 1974)


Não há português que não conheça esta música. Miúdos, graúdos, filhos, pais, netos e avós. Nem que seja pelas aulas de história. É uma das músicas que marcou a revolução de 25 de abril, sendo utilizada como sinal para a preparação das tropas, por não ter conteúdo político e ser uma canção muito popular na altura, não levantando quaisquer suspeitas. Difícil é acreditar que este tema se ficou pelo último lugar no festival, com apenas três pontos.

10. Céline Dion - "Ne partez pas sans moi" (Suíça, 1988)



Não poderia cá faltar aquela que foi a grande rampa de lançamento de uma das vozes mais marcantes e fantásticas de todo o mundo. Céline Dion dispensa apresentações! Atualmente, continua a fazer parte de todos os flashbacks eurovisivos e assim continuará a ser durante muitos anos!

11. Loreen - "Euphoria" (Suécia, 2012)


Se os ABBA costumam ser o grupo vencedor mais predilecto dos fãs eurovisivos do século passado, a Loreen é a escolha de maior parte do novo século. Além de "Euphoria" ser a música eurovisiva que mais vendeu do século XXI, Loreen é chamada para tudo o que é evento relacionado com o concurso. Continua a ser muito acarinhada pelos fãs e a encher muitos palcos pela Europa fora - e os fãs tentam muitas vezes imitar os movimentos à ninja que a cantora sueca fez durante a sua atuação. A estranheza mas, ao mesmo tempo, o impacto e a grandiosidade das suas performances são o que fizeram com que todos se apaixonassem por ela...

12. Jamala - "1944" (Ucrânia, 2016)


Não era suposto, mas a verdade é que a política anda sempre de mãos dadas com este festival e em 2016 tivemos um dos casos mais sonantes disso: a Ucrânia participou com a música "1944", que relembra a história do país mas que também dá aquela patadinha subtil na Rússia, devido aos conflitos que os dois países vivem. Para deleite de uns e azia de outros, a música venceu o concurso e tornou-se numa das mais polémicas dos últimos anos, fazendo correr muita tinta nos jornais e sendo até falada nas televisões portuguesas!

13. Alexander Rybak - "Fairytale" (Noruega, 2009)



A Noruega é um país que prima pela sua inconstância no festival. Detém o recorde de null points, mas também se gaba de ser o país com o vencedor com mais pontos. Claro que com o novo sistema de votação esta realidade já não é assim tão certeira, mas durante muitos anos foi um prazer ver Alexander Rybak a falar do festival e a festejar por ainda ninguém ter roubado o seu lugar de vencedor com mais pontos!

14. Verka Serduchka - "Dancing Lasha Tumbai" (Ucrânia, 2007)


Verka é absolutamente uma figura mítica do festival e das mais (re)conhecidas pelos eurofãs. O seu estilo irreverente e a música que à partida soa como algo muito mau, mas que acaba por se tornar muito bom, torna-a numa das mais adoradas. Não é à toa que Verka e a sua música ainda recentemente fizeram parte do filme "Spy"!

15. Pastora Soler - "Quedate Conmigo" (Espanha 2012)



Espanha é aquele país que tipicamente não leva grandes músicas e, quando se esforça, continua a conseguir maus lugares. É por contrariar essa tendência que todos nos vamos lembrar sempre da diva pastora, do seu vozeirão e presença de palco incríveis e da baladona que nos apresentou! Pena que, apesar de tudo, o lugar conseguido não lhe fez jus!

16. Lordi - "Hard Rock Hallelujah (Finlândia 2006)


Os monstrinhos mais famosos do festival foram mais um caso de polémica, quando venceram o festival em 2006. Foram acusados de adoração ao Diabo, tentaram impedir que o grupo participasse, mas no final o grupo de Hard Rock levou a melhor e o prémio para casa. Hoje são com certeza um dos grupos mais icónicos do festival!

17. Conchita Wurst - "Rise Like a Phoenix" (Áustria, 2014)


Após a vitória bem "morna" e pouco marcante de 2013, Conchita Wurst voltou a pôr a Eurovisão nas bocas do mundo. Em todos os jornais se falou na "mulher barbuda", termo um pouco infeliz que no fundo só refletiu o tal preconceito que Conchita quis combater na sua participação no festival. Conseguiu, pelo menos, fazer um apelo à tolerância e à liberdade de sermos quem quisermos!

18. Helena Paparizou - "My Number One" (Grécia, 2005)


Paparizou teve uma daquelas vitórias que fica para a história, marcando, atualmente, presença em imensos eventos de cariz eurovisivo. "My Number One" teve uma daquelas performances de tirar o fôlego, com uma das melhores coreografias de sempre. Ninguém conseguiu igualar o que aqui se fez! 

19. Željko Joksimović - "Lane Moje" (Sérvia & Montenegro, 2004)


Quem gosta de baladas balcânicas na Eurovisão sabe que o Željko é o seu maior mestre. Este homem faz magia em todas as canções onde está envolvido, como intérprete, em "Lane Moje" e em "Nije Ljubav Stvar", ou como compositor, em "Lejla", em "Oro" e em "Adio". É um dos maiores da Eurovisão por trazer até nós canções que simplesmente não precisam de mais nada

20. Måns Zelmerlöw - "Heroes" (Suécia, 2015)


Ao contrário da canção anterior, Måns e o seu tema "Heroes" representaram uma grande viragem nas performances da Eurovisão, e isso viu-se em 2016. O maior recurso a efeitos cénicos, 3D mapping e tudo mais. A prova de que no festival o impacto visual pesa e muito, e que o seu rumo poderá mudar daqui em diante, se os países começarem a optar por este trunfo, especialmente em alguns casos onde a mensagem é fraca e/ou o artista não a consegue passar para o público através do seu carisma. 

Vídeos: Eurovision Song Contest e Euroencyclopedic
29/07/2016

Autores da publicação:

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.