[Especial] 15 razões para ver a Eurovisão 2017


Adoras "Amar Pelos Dois" mas achas que não vale a pena ver a Eurovisão deste ano só por causa disso? Então este texto é para ti. De seguida apresentamos 15 razões pelas quais toda a gente deve ver a edição deste ano do Festival. Macacos, cavalos, desfiles de vestidos de noiva e muito mais. Parece um crossover entre a exponoivos e um circo, mas é só este fantástico concurso pelo qual esperamos o ano todo. Depois disto até vais meter um lembrete no telemóvel para terça, quinta e sábado. (P.S. Se notarem ironia ou sarcasmo nestes textos, é só impressão vossa).

1. Os gestos do Salvador 

Resultado de imagem para salvador sobral

Começamos, como não podia deixar de ser, pela razão pela qual muitos portugueses vão ver a Eurovisão deste ano: o Salvador. O hype é tamanho que até estamos em 2.º lugar nas apostas e, sabe-se lá se o papa não aproveita a sua vinda a Fátima para realizar um milagre. Há quem adore e quem odeie a música. Há quem adore e quem odeie a maneira como ele interpreta as música. Há quem lhe chame drogado ou diga que ele tem problemas mentais. Mas uma coisa é certa: ninguém fica indiferente aos gestos peculiares que o nosso representante faz enquanto canta a sua música. Se isso é uma coisa boa ou não, teremos de esperar até sábado (sim, nós consultámos a Maya e já sabemos que vamos à final) para perceber.


2. A Croácia a trazer a bipolaridade para o festival


É certo que já se viu de tudo na Eurovisão, mas temos a certeza de que nunca foi possível fazer um estudo sobre bipolaridade baseado numa atuação do mesmo. Até agora. Ao cantar “My Friend”, Jacques Houdek transita de um estilo de ópera para uma balada pop mais rápido do que faria um ninja. E a bipolaridade não está apenas na sua voz, o que torna tudo ainda mais assustador. Está presente na indumentária e na sua própria expressão facial. Houdek foi mentor de Nina Kraljic, representante da Croácia em 2016, no programa The Voice, e acabou também por lhe passar alguns conhecimentos, como estragar a sua canção com uma atuação onde possuía uma indumentária que não tinha nada a ver - a tal bipolaridade, percebem? Acreditem que o que menos queremos é ver Jacques na final, mas não há como negar que este tipo de bruxaria do mal não é para qualquer pessoa!


3. A nota longa da Lindita 


20 segundos a gritar (vá, não é gritar que a rapariga até afina, mas faz de conta). Sim, 20 segundos. Pode não parecer nada, mas a nota longa de "World" deixa qualquer comentador de futebol envergonhado. E, apesar de ela conseguir este feito sem rebentar as cordas vocais, ainda não percebemos ao certo o que é que esta nota está a fazer na música. Temos esperança que, chegada a hora H, a Lindita não consiga fazer a nota e nos proporcione assim um motivo para umas boas gargalhadas. E dizem vocês "ah mas ela esteve sempre bem a cantar a música", pois esteve, mas o Harel Skaat também tinha estado sempre bem até chegar à final e desafinar precisamente na parte que ia para o recap, por isso podemos manter a esperança.


4. Alex Florea e o canhão desgovernado


Na Eurovisão há espaço para quase todas as loucuras. Já vimos muita coisa, algumas delas difíceis de entender, portanto também já esperamos qualquer coisa. Então não foi assim tão espantoso quando a dupla romena apareceu com dois canhões em palco. O que é que são dois canhões quando já vimos hologramas de pessoas nuas? Mas apesar de tudo a Roménia arriscou muito! E porquê? Porque se esqueceu da parte da segurança. Não é tão difícil colocar um cantor em cima de um canhão a tentar guiá-lo... já é mais complicado quando não ocorre a ninguém colocar um apoio decente e um sítio para ele se segurar. Lá ia alguém colocar a hipótese de que ele pudesse cair! Mas olhem só, espantosamente e sem ninguém perceber como, ele caiu! E como se não fosse escandaloso o suficiente ter caído uma vez, quase caiu uma segunda! Sempre ouvimos dizer que não há duas sem três... então quem aí está a torcer por uma terceira queda, ao vivo e a cores? Mas desengane-se quem pensa que nós queremos mal ao rapaz! A verdade é que a queda dele foi tão bonita, tão dentro do tempo da música, tão ajustada, que se nos dissessem que fazia parte da coreografia nós acreditávamos. Na realidade só queríamos voltar a ver este enorme talento do Alex em direto. Verdade se diga, quem acha o Salvador Sobral espantoso por fazer música com uma ventoinha de casa de banho é porque nunca viu o Alex Florea a cair de um canhão.


5. Ver como ficou o fato da Leonor Andrade depois de ir à lixívia


Muitos portugueses nem se lembram de que Portugal esteve presente na Eurovisão em 2015, é um facto. Para muitos, a nossa última participação antes do Salvador foi mesmo a da Suzy, e é porque deu aquela escandaleira que todos nós sabemos, e antes disso talvez tenham uma vaga ideia da participação de Vânia Fernandes. A verdade é que os nossos amigos islandeses quiseram homenagear todo o nosso falhanço que se arrasta há 300 e tal anos ao pedir emprestado o fato de super-herói vilão à querida Leonor Andrade, desculpem, Ella Nor, e dar-lhe um pequeno twist. Bastou encher uma banheira de lixívia, meter o disfarce carnavalesco lá para dentro e já está, branquinho como a cal, pronto a ser reutilizado. Ah, espera. Eles não quiseram atrair um mau presságio, pois, afinal de contas, Portugal não passou à final em 2015, e, portanto, a solução encontrada para tentar angariar mais uns pontinhos foi fazer-lhe um decote imenso. Será suficiente?


6. Aprender uma língua nova com a Letónia  


Quem diz que na Eurovisão só se canta em inglês não podia estar mais enganado. Este ano temos inglês, francês, espanhol, italiano, bielorrusso, português, húngaro e uma língua nova vinda diretamente da Letónia. Não conhecemos a origem da língua cantada pela vocalista dos Triana Park no refrão (até porque o google tradutor não nos conseguiu ajudar) mas temos a certeza que é difícil porque mesmo com as 500 vezes que o verso principal se repete nós não percebemos o que ela diz. E se aprender uma língua nova não vos chega para ver a atuação da Letónia, podem sempre fazer apostas com os vossos amigos sobre qual a cor de cabelo que a vocalista terá na final: azul, roxo, rosa, vermelho... vale tudo.


7. Saber o que o Manel está comiendo 



Para quem acompanhou as festas pré-eurovisivas, há uma pergunta que não se quer calar. Nathan Trent gastou minutos da sua existência tentando descobrir o que é que o seu amigo Manel Navarro estava a comer, perguntou vezes sem conta “Manel, que estas comiendo?” e até hoje não sabe a resposta. Óbvio que a questão tem incomodado a sua existência e a verdade é que a nossa também. Já não temos muitas oportunidades para saber o que o representante espanhol está a comer e, como não parece que em palco ele vá comer alguma coisa, só nos resta estar atentos à green room. Que petiscos irão passar por Manel Navarro enquanto ele vê as atuações dos seus colegas? Serão doces ou salgados? Será uma planta que anda por ali perdida? A mão de alguém? Só desejamos que ele não se lembre de comer a própria camisa, porque com aqueles padrões coloridos que ele usa não era de estranhar que ele confundisse aquilo com comida. Já imaginaram o ridículo que era ele depois aparecer com a camisa meio comida? Enfim... por favor, alguém que nos responda a isto, porque a dúvida e a curiosidade já nos incomoda mais do que querer saber quem vai ganhar este ano.


8. A trança de Slavko Kalezić


Nós mulheres podemos ser muito mal compreendidas por sonharmos com um cabelo até ao rabo de fazer inveja. Para Slavko, representante de Montenegro, o sonho está à distância de uma extensão de clip-in entrançada e nós rendemo-nos completamente. E esta não é uma trança qualquer. Esta trança parece mesmo ter vida própria, ao ponto de Slavko até se esquecer de cantar corretamente ao abaná-la para os comuns mortais como nós. Para além disso, toda a indumentária do montenegrino é absolutamente extraordinária, pois engloba um manto azul, usado como saia, uma camisola semi-transparente e umas calças cintilantes. A questão que se evidencia no meio de tudo isto é: será que o representante de Montenegro irá conseguir não levar um chapadão com o seu próprio cabelo, como vimos em diversas festas pré-Eurovisão? Em breve saberemos! 


9. O regresso do Epic Sax Guy 


Há situações que transcendem o mundo eurovisivo e o epic sax guy foi uma delas. Em 2010 o saxofonista moldavo ficou viral pelo mundo inteiro e mesmo quem não fazia ideia de quem ele era se divertia com os seus movimentos nada sugestivos. Mas 2010 já lá vai e o mundo estava a precisar de novos gifs e de novos vídeos de 10 horas do epic sax guy. O pedido chegou à Moldávia e eis que os SunStroke Project estão de volta! Trazem uma música com o tema mais inútil, mas quem quer saber quando eles traze três noivas a cantar com microfone de bouquet, vêm os três vestidos de noivos, ensaiaram um passo de dança super ridículo e estão ansiosos por se divertir naquele palco? Preparem a internet, que os gifs, os memes e os vídeos estão a chegar!


10. O regresso de Valentina Monetta, o espírito da noite 



Decorria o ano de 2014 quando o mundo eurovisivo sucumbiu à exaustão e deu a Valentina Monetta aquilo que todos acreditavam que eles queriam: a sua passagem à final, chutando para isso Portugal para fora da mesma. Depois de três participações consecutivas, essa pareceu a solução mais adequada. Chegou 2015, e um duo de crianças representou São Marino. O mundo eurovisivo respirou de alívio. Aí veio 2016 e com ele Serhat. Parecia realmente que tinha resultado! Janeiro de 2017... Valentina Monetta diz que não volta à Eurovisão. Sim! Era a confirmação! Ninguém mais se preocupou. Ninguém notou a falta de notícias de São Marino... até que o vídeo oficial da música do país saiu. Valentina Monetta é agora o espírito da noite e claramente vem cantar uma música que ela não faz ideia do que significa. E como é que sabemos disso? Porque ela vai usar uma bolsa a tiracolo. Conhecem alguém que saia à noite com uma bolsa a tiracolo? Pois, nós também não. De qualquer forma ela está aí para mostrar que é uma rainha (nem que seja em São Marino) e é impossível não estar ansioso para ver como aquilo vai ser ridiculamente lindo.


11. Ver 300 mil caras nos LED's, patrocinados pela Lisa Ajax 


Lembram-se de quando criticámos a Lisa Ajax por usar uma filmagem de si própria como cenário no Melodifestivalen? Pois, eis que o karma nos deu um grande pontapé no rabo. Ah, estavam à espera de grandes efeitos especiais, 3D mapping (não, disto enjoámos mesmo em 2016) e muitas luzes psicadélicas? Lamentamos, mas este ano é o ano do amor próprio. Porque quem quer saber de árvores, estrelinhas e nuvens como cenário quando podemos pôr lá a nossa própria cara, para termos a certeza de que todo o mundo consegue encontrar cada poro facial que tenhamos? Para quê planear um cenário que se relacione com a música quando se pode espetar o videoclip da canção nos painéis? É que até parece que o espectador precisa de ver quem está a cantar a duplicar ou a triplicar, sendo que em dois casos o cenário faz parecer que o próprio cantor está a ser engolido. Isto diz muito sobre o narcisismo contemporâneo!

12. O macaco que dança 


Se acham que já viram tudo no palco eurovisivo, enganam-se. O grande favorito à vitória tem ao seu lado em palco um macaco. E não é um macaco qualquer porque está treinado de tal forma que acompanha o vocalista na sua dança extremamente elaborada. Os menos atentos podem achar que estamos a confundir a Eurovisão com um circo e, na verdade, há algumas semelhanças, mas a Itália decidiu mesmo presentar-nos com algo nunca antes visto no palco do ESC fazendo assim uma alusão à letra de "Occidentali's Karma" e à frase do livro de Desmond Morris (notem como nos lembramos do nome dele mas não nos conseguimos lembrar da música de Malta). Se só um macaco não vos chega para verem esta atuação, apreciem os dance moves de Francesco Gabbani que são dignos de um qualquer talent show para bailarinos. É possível que dia 13 toda a gente queira fazer a dança do macaco e, por isso mesmo, aconselhamos todos a verem tutoriais (sim, eles existem). E para os curiosos que queiram saber quem se esconde debaixo desta máscara, nós temos um nome para vocês: Filippo Ranaldi.

13. O dark horse azeri 


Se há coisa que é bem conhecida do mundo eurovisivo são os dark horse, ou seja, aquelas músicas por quem ninguém dava nada por elas e depois conseguem um bom lugar. Mas este ano a Eurovisão foi mais longe e não nos deu um dark horse figurativo, desta vez ele vaio mesmo para o palco. Olhando para o cenário do Azerbaijão facilmente se distingue o homem com cabeça de cavalo em cima do escadote. A utilidade ninguém percebeu qual é. O sentido também ainda ninguém entendeu muito bem qual é. Também não se sabe porque é que ele escolheu a Dihaj para ser a sua companheira de aventura... quer dizer, mais ou menos. Mas agora falando de coisas sérias... alguém alguma vez imaginou que o dark horse tinha corpo de homem e cabeça de cavalo? E que na realidade era só um homem com uma cabeça falsa de cavalo a abanar os braços em cima de um escadote? E que nem é assim tão importante como fazia parecer? É, a Eurovisão por vezes é uma desilusão. Dizer que um determinado país é um drak horse nunca mais vai ter o mesmo sentido...

14. Parceria da Eurovisão com a Exponoivos


Nesta edição da Eurovisão, para além de termos a oportunidade de perceber a qualidade musical dos países concorrentes (sendo que a maioria foi trazida da Suécia, mas sempre podemos omitir isso para os espectadores menos atentos e continuar a fingir que o festival é uma grande celebração cultural) teremos um catálogo ao vivo de vestidos de noiva onde temos opções para todos os gostos. Se quisermos fazer uma segunda versão da nossa primeira comunhão, podemos optar pela proposta de Blanche. Se o casamento for no verão, podemos mostrar um bocadinho tímido de pele com as propostas de Laura e de Kasia Mós.  Se for na praia, a representante da Sérvia apresenta uma sugestão que facilmente se pode adaptar para um fato-de-banho. Para um casamento na floresta, a sugestão da vocalista dos Naviband. Para uma temática relacionada com os heróis da Marvel, a proposta de Svala. Por fim, se o tema do casamento for o circo, temos o coordenado de Lindita, que conta com uma gola de palhaço florida deveras inovadora.


15. A esperança num ESC 2018 melhor


Se estiveram atentos às "Apreciações Musicais" conseguiram perceber que a nossa opinião sobre a edição do ESC deste ano é, no geral, má. Por isso mesmo mal podemos esperar que este ano eurovisivo acabe para começarmos a ter novidades sobre o ESC 2018. E, como somos nós a organizá-lo, só poderá ser um excelente ano cheio de qualidade musical, interval acts com 300 medleys das participações portuguesas no ESC e uma final que vai durar um dia inteiro. Se por acaso ganhar o macaco, as coisas não serão muito diferentes porque todos nós sabemos o desespero que é ver o Sanremo apesar da sua enorme qualidade musical. Além disso, em qualquer um dos casos renova-se a esperança de que haja mais países a cantar na sua língua materna. Se nenhum destes ganhar, resta-nos ir a Fátima acender uma vela e rezar para que em 2018 tenhamos tanta música boa que nos seja difícil fazer um top porque queremos meter quase todas no top 10 ao contrário deste ano em que queremos meter quase todas no bottom 10.


Vídeos: Eurovision Song Contest/Imagens: eurovoix, esctoday, eurovision.tv





Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.