ESC Hit List 2: os 5 melhores e piores revamps eurovisivos



Todos os anos temos aquelas músicas que não são tão bem recebidas pelos fãs e alguém decide que é melhor fazer-lhe alterações. Algumas dessas alterações são realmente para melhor, mas há aquelas que assassinam totalmente uma música que até poderia ter potencial.

PIORES REVAMPS

Nessun Grado di Separazione - Francesca Michielin (Itália 2016)



Todos nós sabemos que os italianos não querem saber da Eurovisão. Fazem um grande festival (grande a nível de qualidade e de tempo) de música e no fim alguém há-de representá-los na Eurovisão, seja esse o vencedor ou não. Desde que o método foi instaurado nenhuma música se manteve na versão original. "Grande Amore" sofreu ligeiros cortes, "Occidentali's Karma" foi praticamente assassinada mas a pior alteração de todas foi a do ano passado. "Nessun Grado di Separazione" funciona bem até que vem um refrão num inglês muito manhoso e que não faz qualquer tipo de sentido. Por algum motivo a Itália acabou num lugar tão mau.

Fairytale - Eneda Tarifa (Albânia 2016)



Continuemos com a rainha dos revamps. Ver o FiK é inútil na medida em que a música que vai representar a Albânia nunca está entre as concorrentes. Sim, porque os albaneses fazem revamps à séria e mudam a música inteira. Às vezes corre bem, mas em 2016 correu extremamente mal. "Perralle" era uma música cheia de força e "Fairytale" era... bem, todos nós ouvimos.

Never Give Up On You - Lucie Jones (Reino Unido 2017)



Por uma vez na vida a BBC decidiu esforçar-se e levar para o palco eurovisivo a melhor atuação do ano. Foi uma pena que não se tivessem esforçado também na música. "Never Give Up On You" é uma música pobre e sem originalidade nenhuma, mas com um arranjo que não envolvesse computorizar tudo, talvez tivesse conseguido um lugar melhor.

Há Um Mar Que Nos Separa - Leonor Andrade (Portugal 2015)



Se há uma lista de "piores", Portugal tem de estar presente (sim, porque uma vitória não apaga toda a miséria que já levámos ao ESC). A nossa música de 2015 tinha tudo para passar despercebida e, como tal, alguém (que todos nós sabemos quem é) decidiu dar-lhe uns toques mais modernos e acrescentar-lhe uns fantásticos coros. Conclusão: passou despercebida na mesma mas aqueles "eh ah oh" ainda hoje nos assombram.

Hear Them Calling - Greta Salóme (Islândia 2016)



Há momentos em que apostar no inglês é a pior decisão que um cantor pode tomar. "Hear Them Calling" é uma música relativamente interessante e Greta Salóme tem uma voz sem falhas. O problema é que a música pede força e a voz da cantora não tem essa força nem a letra em inglês (que é repetitiva e chata até mais não). A letra islandesa dava essa força extra à canção que provavelmente continuaria a não se qualificar.






MELHORES REVAMPS

I Didn't Know - Serhat (São Marino 2016)



Não, não estamos a brincar. "I Didn't Know" é capaz de ser das piores músicas eurovisivas de sempre mas o que é certo é que o Serhat ganhou o carinho dos fãs todos. A primeira versão desta música é tão boa que já nem está no youtube e a verdade é que a versão disco nos faz dançar e cantar como se não houvesse amanhã. 

Warrior - Amber (Malta 2015)



Malta não costuma distinguir-se nem pela positiva nem pela negativa, está ali no meio sem ninguém querer saber das suas escolhas. "Warrior" estava longe de ser uma das favoritas dos eurofãs até que a versão final foi revelada e todos (vá, quase todos) se renderam ao poder do novo instrumental.

Made Of Stars - Hovi Star (Israel 2016)



Ainda se lembram do desastre que era a primeira versão desta música? Ninguém esperava que daí saísse uma balada com uma interpretação absolutamente exímia. Este foi provavelmente o melhor revamp eurovisivo de sempre e também e menos espectável.

Midnight Gold - Nika Kocharov & Young Georgian Lolitaz (Geórgia 2016)



A generalidade dos eurofãs odiaram esta música nas primeiras audições. O revamp tornou-a mais eletrónica mas ainda assim ninguém apostava numa passagem à final. Pois bem, parece que as alterações deram resultado e a Geórgia acabou por conquistar um (merecido) lugar na final no ano passado.

Tick Tock - Mariya Yaremchuk (Ucrânia 2014)



Atrevemo-nos a dizer que ninguém gostou desta música quando foi selecionada para representar a Ucrânia. E estávamos no nosso direito porque "Tick Tock" era realmente pavorosa. Felizmente os ucranianos perceberam isso mesmo e fizeram as alterações necessárias à música e nem o homem-rato nos fez confusão.


Menção honrosa: This Is Love - Demy (Grécia 2017)



Pode haver quem não se lembre, mas a letra de "This Is Love" não é igual àquela que nos foi apresentada na final nacional grega (e que infelizmente foi apagada do youtube). "This is love, rain falls from above" tinha tudo para ser o melhor verso alguma vez escrito na história da Eurovisão (se não contarmos com finais nacionais porque nesse caso "tens garras de metal que é fundamental p'ra chegar ao sol" vencia) e os gregos decidiram mudá-lo. 

Vídeos: FrancescaMVEVO, Radio Televizioni Shqiptar, BBC, TVESCFAN, Eurovision Song Contest, Eurovision 2016 Israel, eurovisionfest, ESCKAZ.com, PanikRecordsTube 



Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.