FBI Eurovisão - Quarto texto: Arménia e Azerbaijão de costas voltadas


Atenção! Chamem a FBI Eurovisão, ou calem-se para sempre! Neste artigo irão ser apresentados casos e conspirações, que, apesar dos anos, nunca foram concluídos. Muitos deles nem investigados! Será a Eurovisão um concurso musical exímio ou um evento repleto de inimizades?

Muitas vozes críticas ridicularizam o Festival Eurovisão da Canção, apontando-o como um evento fútil, onde a aparência tem mais preponderância do que a capacidade musical – e existem algumas atuações que suportam este argumento. Mas mesmo considerando este fator, quando olhamos para o percurso que a Eurovisão tem feito, sendo acompanhada por mais de 100 milhões de pessoas anualmente, percebemos que esta desempenha um importante papel sociocultural, funcionando como um “barómetro” da Europa contemporânea e dos conflitos internos que o continente enfrenta. Exemplo do exposto, é a relação atribulada entre a Arménia e o Azerbaijão, que tem vindo a acompanhar a Eurovisão em anos recentes.

A Arménia tem participado no certame desde 2006, enquanto o Azerbaijão iniciou a sua participação em 2008. O contínuo conflito entre estes países, por conta da região de Nagorno-Karabakh (considerada como parte do Azerbaijão pelas Nações Unidas, mas que tem estado sob controlo arménio desde 1993), tem afetado o Festival Eurovisão da Canção em várias ocasiões.

Os conflitos entre a Arménia e o Azerbaijão surgiram na Eurovisão, pela primeira vez, em 2006, quando os media azeris criticaram o site oficial do evento por anunciar Nagorno-Karabakh como local de nascimento do primeiro representante da Arménia - André. No entanto, os problemas não ficaram por aqui e até tenderam a aumentar de proporções… Em 2009, durante as semifinais, as autoridades azeris opuseram-se à exibição do monumento We Are Our Mountains, situado em Nagorno-Karabakh, no vídeo de apresentação do tema arménio. A Arménia não “comeu e calou”, e como forma de retaliação, exibiu várias imagens do monumento durante a divulgação da sua votação. Após a competição, surgiram suspeitas de que a emissora azeri adulterou a sua transmissão eurovisiva de forma a censurar o tema arménio. Mais ainda, o governo azeri foi acusado de interrogar cidadãos que votaram na Arménia, considerando que revelava falta de patriotismo e uma ameaça à segurança. Na sequência das devidas averiguações, o Azerbaijão foi multado pela União Europeia de Radiodifusão (EBU) por violar a privacidade dos votantes.


Neste confronto, até os jovens sofrem… Os conflitos chegaram à Eurovisão Júnior quando, em 2010, os media arménios afirmaram que a emissora azeri cortou a transmissão no momento em que a vitória arménia se tornou evidente. No entanto, ficou por esclarecer se o evento chegou, em algum momento, a ser transmitido no Azerbaijão.

Outro dos momentos mais marcantes neste confronto ocorreu em 2012, quando o Azerbaijão sediou o Festival Eurovisão da Canção, após a sua vitória em 2011. Na altura, um grupo de músicos arménios organizou um boicote, tendo culminado com a desistência do país da competição – tal levou a que a EBU tenha multado o país por o aviso tardio. Esta desistência foi criticada por um político azeri e pela emissora do país, que consideravam que a participação da Arménia poderia ter funcionado como um símbolo de paz entre os dois países.

Os conflitos mais recentes, na Eurovisão, surgiram na época pré-eurovisiva de 2015, com algumas críticas apontadas à letra do tema arménio, “Don't Deny”, sugerindo que era uma alusão ao genocídio arménio, cujo 100º aniversário foi comemorado no mês anterior à realização da competição. Como o Azerbaijão nega o genocídio, as autoridades do país emitiram um comunicado acusando a Arménia de tentar usar a Eurovisão como meio para as suas “ambições políticas”. Em consequência, a delegação arménia negou que o tema seja especificamente sobre o genocídio, tendo-o renomeado para “Face the Shadow”, de forma a minimizar as preocupações sobre supostas associações de carácter político.

A nível de resultados, são dos países mais fortes da Eurovisão. O Azerbaijão sempre marcou presença na final, e já conta com seis top10. Já a Arménia, apenas não se qualificou uma vez para a final e também já esteve por seis vezes no top10! É caso para dizer que, tanto um como outro país, lutam pelos resultados. Quaisquer que sejam as diferenças políticas, geográficas e sociais, estes dois países ajudam a fomentar a diversidade musical num concurso que tem uma forte componente ocidental. Melhores dias virão para a Arménia e Azerbaijão, esperemos nós...

Não perca, na próxima semana, um novo mistério eurovisivo...

13/10/2015
Imagem: neurope.eu

Autores:


Grafismo:

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.