Na Luta Contra o Preconceito - Introdução


INTRODUÇÃO

Desde o seu início em 1956, que o Festival Eurovisão da Canção sempre se demarcou dos demais programas televisivos pela sua originalidade: nações que saíram da II Guerra Mundial, participam num concurso musical onde estão obrigadas a avaliar, através do voto, a música das outras. Com o avanço dos anos, cada vez mais países se foram juntando, o que deu origem a um verdadeiro melting pot de culturas de países da Europa, África (lembremo-nos de Marrocos), a Ásia (da qual Turquia e Israel são os exemplos mais antigos) e até da Austrália (o caso de 2015). 

Mas claro que a multiculturalidade que é inerente ao Festival não trouxe só vantagens. A uma mistura tão grande de culturas vieram arreigados problemas político-económicos, sociais e problemas de mentalidades que se espelharam no Festival, nomeadamente a discriminação. 

Neste texto iremos abordar quatro dos preconceitos que o Festival tentou esbater ao longo dos séculos:

O racismo e a xenofobia
O culto do corpo e a idade
O preconceito para com a comunidade LGBTI
As deficiências que se espelham nos artistas participantes

Em 60 edições foram muitas as pessoas que já passaram por este festival. Bonitos, feios, mais gordos, mais magros, mais velhos, mais novos. Os heterossexuais, os homossexuais, os bissexuais e até as drag queens. Os brancos, os pretos, os acastanhados. Os perfeitos e imperfeitos. Os preconceituosos e os que lutaram contaram contra a discriminação. São todas essas pessoas que fazem esta rubrica, quer tenham impressionado pela positiva ou pela negativa. Porque cada caso é um caso, e cada caso é um exemplo do qual podemos retirar uma lição. 

Foram 60 edições em que vimos tanto de correto como de errado. Mas para o bem ou para o mal, o espetáculo continuou a ser feito, e no final nunca foi o preconceito a vencer. Podemos levantar todos os casos em que o festival foi preconceituoso, podemos até arrasar com ele, mas no final é esta ideia que temos que reter, para qualquer situação: no final, não é o preconceito que vence.

Esta é uma rubrica feita por mais gordos, mais magros, mais velhos, mais novos, mais bonitos, mais feios, mais claros, mais escuros, nascidos em Portugal e nascidos fora. É feito por todos, para todos.

Nós somos contra a discriminação, e tu?:



28/11/2015

Autoria:

Grafismo:

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.