Apreciações Musicais - ESC 2016: Finlândia



SANDHJA - "SING IT AWAY"



André Sousa: No que toca ao instrumental, gosto das batidas demarcadas durante toda a actuação. O refrão é mesmo o ponto forte, aquele que me "convida" a arriscar-me a dar uns passinhos de dança.

Carolina Pinto: Um tema muito mexido com uma mistura de pop, soul, funk e R&B contemporâneo. Marca pela diferença, o toque de soul dá-lhe um toque único. É um tema que não aborrece, pelo contrário, a mistura das batidas transmite alegria e dá imensa vontade de saltar para o palco e dançar e libertar as más energias. 

Catarina Gouveia: O resultado de mais uma escolha injusta por parte da Finlândia. Uma canção banal que resulta da tentativa de criar um tema radio friendly. Não me convence minimamente.

Cláudia Peres de Matos: Animada, ritmada, mas para mim pobrezinha… pelo menos não tão rica o suficiente para o sucesso que está a ter. 

Diogo Canudo: Há coisas que me ultrapassem. Esta não era a melhor música que a Finlândia tinha na sua seleção nacional. A melodia é demasiado genérica, bastante antiquada e nada que mereça a minha especial atenção.

Elizabete Cruz: Este é com certeza um tipo de música que não dá para os meus ouvidos. Para o meu gosto é péssimo e nem lhe consigo encontrar qualidades, mesmo que acredite que dentro do género as tenha.

Jessica Mendes: Não há muito por onde pegar neste instrumental. Começa de uma forma e acaba de outra totalmente diferente. Mas há algo inegável: faz-nos querer dançar!

Joana Martins: O início é muito interessante. Depois disso torna-se só vulgar. 

Maria Silva: Não gosto deste tema, nada de novo, uma cópia de alguns temas do ano passado.

Pedro Emídio: Destaco a parte do refrão que relembra uma sonoridade dos anos oitenta. De resto, não foge à regra que tem marcado as canções mais comerciais que concorrem ao certame.

Ricardo Mendes: A Finlândia apresenta-nos um instrumental  muito datado. Nada de impressionante. 


André Sousa: Pessoalmente, gosto muito da voz da interprete. A força que é incorporada na voz, e os coros completam e criam uma harmonia perfeita entre todo o arranjo.

Carolina Pinto: Sandhja tem uma voz brutal, uma grande potência vocal. A artista transmitiu toda a alegria da canção, toda a energia positiva. 

Catarina Gouveia: Nota-se a fraqueza da Sandhja a atingir certas notas que não são assim tão exigentes, assim como alguma dificuldade nas respirações.

Cláudia Peres de Matos: Para a movimentação que tem em palco, a intérprete até não se safa mal, ainda que tenha a ajuda dos backing vocals

Diogo Canudo: A cantora é competente, gosto do arranhar da voz da mesma, transmite-me várias sensações.

Elizabete Cruz: A voz com certeza esta adequada ao instrumental e não se pode negar que é uma boa voz. Simplesmente é difícil gostar quando não se suporta a música.

Jessica Mendes: Sandhja faz algo que é difícil para maioria dos cantores: não coloca a voz do início ao fim do tema. E isso faz com que estejamos constantemente a ouvir gritos e a perceber que ela está a esforçar demasiado as cordas vocais num tema que não exige quase nada.

Joana Martins: É boa ao vivo. Nada mais. 

Maria Silva: Uma voz um pouco irritante na minha opinião, um pouco aguda e nasalada demais para o meu gosto.

Pedro Emídio: Não tem uma voz fantástica nem uma grande extensão vocal, mas acredito que consiga ter uma boa apresentação em Estocolmo. 

Ricardo Mendes: Adequada ao tema apresentado. Sem falhas.


André Sousa: A Sandhja aposta numa postura descontraída, e isso marca muito pela positiva – sem dúvida.

Carolina Pinto: Muito enérgica. Foi uma atuação bastante animada, e é precisamente esse um dos intuitos da Eurovisão, entreter e alegrar não só a Europa, mas também todo o mundo.  

Catarina Gouveia: Por favor, acabem com as danças. Parece que estou a assistir ao "Do Cabaré para o Convento". Há formas de sentir a música sem parecer que estamos a ter um ataque epilético!

Cláudia Peres de Matos: Gostaria de ver esta apresentação bastante melhorada. A coreografia e, principalmente o cenário estão fracos.  

Diogo Canudo: Sandhja sabe bem como encher o palco. Fico triste por ver uma artista tão boa a interpretar um tema tão fraco como este. Estou expectante para ver como a artista se relaciona com os fãs e os media em Estocolmo.

Elizabete Cruz: Não há dúvida que Sandhja tem presença de palco e sabe como estar e apresentar a sua música. Provavelmente um dos pontos mais a favor da proposta.

Jessica Mendes: A cantora faz muito bem o seu trabalho neste aspeto, mas não chega andar de um lado para o outro para cativar o público.

Joana Martins: Até é interessante. Não tem nenhum efeito em mim. 

Maria Silva: É o ponto mais forte deste tema, uma vez que permite uma melhor e maior interação com o público.

Pedro Emídio: A intérprete está à vontade com o tema e consegue dominar o palco com a sua presença.

Ricardo Mendes: Para que este tema tenha impacto visual no público que irá assistir, precisa-se muitos efeitos de luzes, efeitos pirotécnicos.  


André Sousa: Simples, de fácil apreensão e chamativa. 

Carolina Pinto: Diferente, marca pela sua originalidade, não se insere num tema muito marcante, é mais um tema alegre, para desanuviar. 

Catarina Gouveia: O refrão é muito orelhudo! Fica na cabeça e convida quem ouve a cantá-la, o que sem dúvida é um ponto a favor.

Cláudia Peres de Matos: Uma mensagem de otimismo para deitarmos os problemas para longe! Não é um tema novo. Aliás, tem sido bastante usado mas é um tema que não desgosto. 

Diogo Canudo: Uma letra super banal e desinteressante. O poema em si está bem construído para a melodia, mas apenas isso.

Elizabete Cruz: O que esta letra nos traz é algo que muitos de nós fazemos, que é cantar para esquecer as desgraças da vida. Pena que isso venha numa música que por si só já é uma desgraça. 

Jessica Mendes: "Sing it away" faz-me lembrar o nosso provérbio "quem canta seus males espanta" e, assim sendo, considero a letra o melhor ponto desta proposta finlandesa. No entanto acho-a enfadonha e repetitiva. Conclusão: a ideia é boa, mas foi mal executada.

Joana Martins: Isto é mesmo sobre o quê? 

Maria Silva: REPETITIVO. Ao ser desta forma, faz com que o tema não seja bem recebido pelos ouvintes.

Pedro Emídio: Não é das melhores letras que vai passar pelo Festival, mas não se torna repetitiva nem cansativa. De uma forma geral, foi uma boa aposta. 

Ricardo Mendes: Uma letra muito bem elaborada com refrão orelhudo! Vou cantar por aí.


André Sousa: Confesso que tenho algum receio que não consiga um lugar na final. Veremos…

Carolina Pinto: Passará certamente na semifinal, mas penso que não alcançará um grande lugar na final. 

Catarina Gouveia: Penso que é uma daquelas músicas animadas q.b. que acabam por ficar-se pela semifinal. Assim espero!

Cláudia Peres de Matos: A Finlândia regressa à final, mas não obterá um lugar assim tão positivo como o esperado pelos eurofãs. 

Diogo Canudo: Talvez deva ir à final, mas por mim não iria.

Elizabete Cruz: Por mim ficaria pela semifinal, e acredito que acabará por ficar mesmo. 

Jessica Mendes: Penso que fica na semifinal e espero que isso aconteça para os finlandeses perceberem a asneira que fizeram!

Joana Martins: Não deve passar à final (e era bem feita por andarem a desperdiçar obras de arte!) 

Maria Silva: Nada de bom.

Pedro Emídio: Terá que se esmerar para conseguir um lugar na final, a concorrência é forte. 

Ricardo Mendes: Duvido que passe à final.


André Sousa: 5 pontos

Carolina Pinto: 10 pontos

Catarina Gouveia: 2 pontos

Cláudia Peres de Matos: 4 pontos

Diogo Canudo: 1 ponto

Elizabete Cruz: 3 pontos

Jessica Mendes: 2 pontos

Joana Martins: 2 pontos 

Maria Silva: 1 ponto

Pedro Emídio: 6 pontos

Ricardo Mendes: 3 pontos

Total: 39 pontos


André Sousa: Enquanto cantas, nossos males espantas.

Carolina Pinto: Enérgica 

Catarina Gouveia: Sing it away from me!

Cláudia Peres de Matos: Sandhja, não tens outros brincos?

Diogo Canudo: Com um Mikael Saari, a sério, Finlândia? A sério?

Elizabete Cruz: Aqueles 3 minutos de música em que só queres que a senhora se cale.

Jessica Mendes: And ‘on it goes’

Joana Martins: Finlandeses, recusaram (novamente) o grande Mikael Saari para isto? Não há como entender. 

Maria Silva: Vai te "masé" embora

Pedro Emídio: Aposta na diferença e isso pode dar-lhe alguma vantagem. 

Ricardo Mendes: Oh Finlândia! não havia algo melhor para nos apresentar a concurso este ano? 


 Arménia - 78 pontos;  Croácia - 70 pontos; Finlândia  - 39 pontos.

Vídeo: Eurovision Song Contest
19/03/2016

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.