ESC Hit List: 10 músicas para quem está solteiro e se orgulha disso


Muitas pessoas (atrever-me-ia a dizer a maior parte) por esse mundo fora procura o seu amor, procura alguém para namorar e passar algum tempo de qualidade com muito carinho à mistura e sempre com um apoio para tudo. Depois há aquela parte mais pequena que foge a sete pés dessa situação! Aturar todos os dias a mesma pessoa? Credo! Carinhos e coisas melosas? Haja paciência! Apoio? Foi para isso que me deram duas pernas!

A lista de hoje é para essas pessoas, essas que fogem de relações a sete pés e sinceramente nem são muito bons nisso de estar num relacionamento. Elaborada e escrita por uma solteira orgulhosamente só!

1. Nadav Guedj - "Golden Boy" (Israel 2015)
(Ou "Estou de coração partido... não, já passou!)



"I'm not in a mood for a broken heart" é o verdadeiro mantra para estas pessoas que fogem de relacionamentos como o Diabo foge da cruz. Infelizmente, o nosso coração também nos prega partidas de vez em quando, e lá acabamos por nos interessar mais do que devíamos por determinada pessoa. E como normalmente temos imenso jeito para relacionamentos (aqui impera a ironia, atenção!) a coisa acaba por correr mal. Felizmente somos muito capazes de nos proteger destas situações! Sofremos durante dia e meio e facilmente percebemos que é perda de tempo. Aí saímos de casa, vamos dançar até de manhã, quem sabe mostrar Telavive a alguém... não importa o que fazemos, o que importa é que não nos afecta!

2. Justs - "Heartbeat" (Letónia 2016)
(Ou "Não estou apaixonado, mas não me quero afastar")


Como eu já disse, mas vale sempre a pena voltar a referir, nós não temos pedras no lugar do coração. Nós conseguimos apegar-nos, difícil mesmo é acabarmos apaixonados! Portanto pode acabar por acontecer este cenário: nós gostamos dessa pessoa como amiga, adoramos o sexo, não nos queremos afastar, mas no fundo sabemos que devíamos. A letra desta música é uma ode a quem vive neste drama (e pensa mais com os órgãos sexuais do que com a cabeça). "I learned by heart you’re not my own, but I never asked you to belong" é o que nós mais fazemos, porque efectivamente a pessoa tem carta branca para fazer a vidinha dela, mas "You’re my desire and my pain" e "You mean more than anything to me", portanto não fujas para muito longe. É difícil, eu sei!

3. Bojana Stamenov - "Beauty Never Lies" (Sérvia 2015)
(Ou "Sou mesmo giro/a, vou namorar comigo mesmo/a)


Uma característica comum à maior parte destas pessoas que estão orgulhosamente sós é que têm uma auto-estima e um ego daqui até ao céu. Convenhamos, é preciso ter-se auto-estima para não andar nessa vida deplorável de "porque é que ninguém gosta de mim?". Ora então, amar-nos a nós mesmos é o mais importante e sentirmo-nos bem com nós próprios é realmente o mais importante, sem precisarmos de alguém ao nosso lado a dizer como estamos bonitos só porque se não disser fica sem sexo durante um mês! "Beauty never lies" e a nossa beleza até brilha quando nos vemos ao espelho. Realmente porque havemos de namorar com alguém quando somos assim lindos e temos a obrigação de partilhar a nossa beleza pelo mundo?

4. Alexey Vorobyov - "Get You" (Rússia 2011)
(Ou "Esta noite vou sair e vou engatar alguém)


Pelo que a minha experiência me tem dito, pessoas com falta de paciência para relacionamentos têm propensão para os one night stand (relacionamentos de uma noite) e uma capacidade nata para conquistas. Não é difícil perceber porque é que esta música está aqui pois não? Podemos ser orgulhosamente sós, mas as nossas hormonas não estão congeladas e por vezes seduzir é algo que é obrigatório! Nesse caso, programa-se uma saída à noite, com o nosso raio laser analisamos o perímetro, escolhemos o alvo e aí começa a brincadeira de sedução. Se correr bem, maravilha, se não, sem problema, no dia seguinte ninguém quer saber. No fundo, a moral desta história de amor é "I’m coming to get you, I’m gonna get you, I know you, you want me too", bem ao género "Vi-te, disse "vou-te comer" e comi!". 

5. Elina Born & Stig Rästa - "Goodbye To Yesterday" (Estónia 2015)
(Ou "Cansei-me, adeus!)


Já por aqui falei no jeito que a maior parte de nós em manter relacionamentos. Simplesmente é difícil manter uma relação quando sentimos que somos do mundo e estar ali só para uma pessoa nos prende. Mas claro que quando nos apaixonamos damos uma oportunidade ao amor, e mais cedo ou mais tarde isso acontece. Pode é correr muito bem, ou muito mal! E quando corre mal é basicamente isto que acontece: somos um Stig a deixar a Elina no palco, sem dizer muito, só a sair de fininho, porque a verdade é que já não estamos nem aí para esse relacionamento, mas não queremos magoar a pessoa. Óbvio que magoamos na mesma, até porque muitas vezes não é fácil entender porque é que "My love was never gonna be enough" quando "Yeah we fight a lot but in the end, you and I, we’re a perfect match". Ninguém disse que era fácil lidar com pessoas assim!

6. Mørland & Debrah Scarlett - "A Monster Like Me" (Noruega 2015)
(Ou "Não te quero mesmo fazer sofrer, mas para mim não dá")


O termo "monstro" é com certeza forte demais, porque não somos nenhuns monstros. Aliás, neste caso, monstro é a última coisa que podemos ser, já que nos preocupamos com a outra pessoa. A verdade é que mesmo que nós não sejamos propícios a ficar apaixonados, acabamos por atrair pessoas para nós, pessoas essas que se apaixonam por nós e não vêm o sentimento retribuído. Nessas alturas é preciso ganhar coragem e dizer a essa pessoa que estão um pouco enganados em relação a nós, já que não somos assim tão espectaculares como parecemos e vamos acabar por causar sofrimento. Claro que custa sempre um bocado e arranjar subtileza para estes momentos não costuma ser fácil, mas "I better let you go, to find the prince you thought you found in me" e evitar dramas maiores.

7. Koza Mostra feat. Agathon Iakovidis - "Alcohol Is Free" (Grécia 2013)
(Ou "Siga piscar o olho aos moços para beber de graça)


Correndo o risco de errar por não ter muita experiência em relações homossexuais, esta é claramente uma música para as solteiras! E porquê? Simples... o primeiro truque para engatar uma moça parece ser sempre pagar uma bebida, depois outra e depois outra, até que no final a dívida já só se paga mesmo num quarto de hotel, num carro ou na casa de banho. Óbvio que comprometidas não se metem nestas andanças - ou metem, mas no dia seguinte isso pode causar alguns arrependimentos - portanto nós, solteiras que andamos na vida louca, temos a noite feita só de lançar algum charme! O rapazinho até pode ter sorte, ou então leva um pontapé no rabo, porque o que bebemos ele já não nos tira. O que importa é que estamos com aquela bebedeira descomunal, nos divertimos à grande e tão pobres como éramos antes já que "Alcohol is Free".

8. Donatan & Cleo - My Słowianie - "We Are Slavic" (Polónia 2014)
(Ou "Sabemos muito bem o que andamos aqui a fazer!"


Se ignorarmos o facto de nesta música estarem exclusivamente a falarem das moças eslavas, há dois versos que me chamam extremamente a atenção: "We know how to use our charming beauty, now shake what your mama gave ya!". Óbvio que toda a gente deve saber usar a sua beleza natural, mas também acho óbvio que nós, que não temos gosto por compromissos e andamos aí a saltar de galho em galho, temos mais facilidade em lançar charme. Nem é uma questão de ser melhor ou pior na arte da conquista, é mesmo uma questão de ferrugem, já que depois de muitos anos a comer peixe é difícil ser a mesma pessoa quando se come carne.

9. Laura Tesoro - What’s The Pressure (Bélgica 2016)
(Ou "Quando é que nos apresentas o teu/tua namorado/a?)


Claro que todos nós sofremos com este mal, mas quem não tem por hábito namorar acaba por padecer mais desta praga. Sim, falo exactamente dos tios que acham que nós já tínhamos idade para ter casado e ter um rebanho de filhos! A pressão familiar é uma coisa nem sempre fácil de lidar, e muitas vezes a vontade é manda-los para um certo sítio, porque tentar explicar as nossas opções de vida acaba por ser perda de tempo. Mas não há que desesperar! Com o tempo uma pessoa aprende a ignorar. Afinal, e para regozijo deles, "You will grow, You will know in the end" e provavelmente daqui a uns anos estaremos mesmo casados e com um rebanho de filhos, eles vão estar felizes e nós também, porque fizemos tudo aquilo que queríamos fazer e ainda sobrevivemos a esta praga. O importante é viver sem pressões!

10. Roberto Bellarosa - "Love Kills" (Bélgica 2013)
(Ou "Porque é que construí esta muralha à minha volta")


A primeira razão de esta música estar aqui é com certeza o facto de todos fazermos caretas idênticas às que o Roberto Bellarosa faz quando nos falam em namorar. A segunda razão é aquela que vem explicar o porquê de sermos assim: é verdade, a maioria de nós já sofreu por amor e não gostou da experiência. Detestamos tanto que agora fugimos a sete pés da ideia de voltar a amar alguém, criamos essa muralha impenetrável à nossa volta e fingimos que está sempre tudo bem, porque nos obrigamos a que esteja. Eventualmente aparece aquele que "Give me something I can feel" e nós sabemos que vale a pena, mas até lá, o nosso pensamento é que "Love kills over and over". Mas atenção, vocês que se apaixonaram por um cubo de gelo como nós, não desesperem! Com um pouco de paciência e dedicação, vocês conseguem ultrapassar a muralha!

Vídeos: Eurovision.tv
18/07/2016

Autor da publicação:

O resto da equipa do "ESC Hit List":


Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.