ESC Hit List: 20 coisas que deprimem um eurofã


Como bons eurofãs que somos, todos os anos acabamos a sofrer por causa dos mais diversos motivos. Convenhamos, por vezes a azia é tão grande que a vontade é enfiarmo-nos na caverna e sairmos de lá quando o novo ano eurovisivo chegar. Foi por isso que decidimos enumerar 20 coisas que nos deixam a chorar de tristeza e nos faz querer abandonar esta vida!

1. Quando ansiamos por aquela final nacional... e não aparece nada de jeito



Este podia ser um ponto dedicada a nós, eurofãs portugueses. Okay, definitivamente, é um ponto dedicado a nós, eurofãs portugueses. Porque todos os anos “vamos ter um Festival da Canção com músicas muito boas, qualquer uma é capaz de chegar à final” e depois só queremos cortar os pulsos.

2. Quando os eurofãs dos outros países têm um tremendo mau gosto




Nós adoramos aquela final nacional daquele país. Adoramos aquele cantor, que tem uma música espetacular pela qual vamos torcer que nem doidos na Eurovisão. E depois eles escolhem a pior porcaria que tem na seletiva e nós ficamos a achar que o país só tem surdos.

3. Quando adoramos aquele cantor... mas não dá para ignorar que a música é uma porcaria


Para nós que na época pré-eurovisiva devoramos tudo o que é entrevistas e afins, é normal que acabemos por adorar a personalidade dos participantes. Muitas vezes o caso é até que o participante é repetente, mas aquela música... O que acontece é que ficamos com pena, porque eles vão lutar pelo último lugar e nós nem vamos ter argumentos para os defender.

4. Quando amamos a música... mas não conseguimos gostar do cantor



Desenganem-se se pensam que o contrário não acontece! Muitas vezes amamos aquela música, mas o cantor simplesmente não nos cai no engodo, ou porque tem a mania, ou porque tem falta de jeito para aquilo, ou por outro motivo qualquer. E, bem, de repente já não sabemos se é ou não digno amar aquela música!

5. Quando adoramos a música... mas temos que odiar a Rússia por obrigação



Decerto não acontece com todos, mas bem, nos tempos que correm odiar a Rússia é algo que fica bem socialmente. Por isso, quando nos apercebemos que a música russa é a nossa preferida, causa todo um turbilhão de sentimentos contraditórios que pode mesmo levar ao estado depressivo.

6. Quando somos os únicos a gostar daquela música



Antes de chegar a semana eurovisiva adoramos conversar e partilhar os nossos top’s. E curiosamente somos os únicos a adorar aquela música que todos metem em último lugar. Bem, já sabemos que dificilmente ela vai passar da semifinal, mas tornamo-nos os seres mais incompreendidos do planeta.

7. Quando aquela música está bem longe dos nossos parâmetros de qualidade, mas não conseguimos parar de ouvir



Isto normalmente causa em nós sérios problemas de identidade. O que se passa connosco? Que aconteceu com o nosso gosto musical? O que irão dizer as outras pessoas quando souberem? Okay, é melhor esconder, já é mau o suficiente termos vergonha de nós próprios.

8. Quando vamos ver as casas de apostas e São Marino está à frente de Portugal



É assim. ninguém está à espera que Portugal vá ganhar alguma coisa, mas também não é preciso ser rudes, não é verdade? Ficar todos os anos em último nas casas de apostas é mau, mas pior que isso só mesmo ficar atrás de São Marino, que é provavelmente o único país que consegue sempre ser pior que nós.

9. Quando o intérprete da nossa música preferida vai ultra mal vestido para o palco




Está certo, é um concurso de música. Mas não é um concurso para cegos. Perceber que aquela música é linda e podia ser tão bem aproveitada, mas visualmente está um horror, é algo que provoca muita dor.

10. Quando a música é boa em estúdio, mas ao vivo é tortura



Em estúdio toda a gente canta bem, até nós. Pena que exista essa regra manhosa de que não se pode cantar em playback no palco da Eurovisão, que põe a descoberto muitos cantores que na realidade não o são. E assim aquelas músicas que nós adoramos viram tortura.

11. Quando o nosso país fica pela semifinal



Esta também pode perfeitamente ser para nós, eurofãs portugueses. Para além de deprimir, tira o entusiasmo de ver a final, sabendo que não vamos ter o nosso país para torcer. Pior que isso, é saber que não passamos por um mísero ponto! Mas verdade seja dita, no nosso caso, já nem deprimimos muito porque estamos demasiado habituados.

12. Quando aquela música que amamos ficou na final nacional e o vencedor nem à final vai



Não basta sofrer pelo nosso país, ainda sofremos pelo dos outros! Porque antes os tínhamos chamado de surdos por não terem escolhido o nosso preferido, e agora até dizemos que é bem feita, mas na realidade deprimimos porque sabemos que aquela música tinha feito muito melhor figura.

13. Quando aquela música que não vale nada passa e as boas ficam na semifinal



E quando isto acontece por causa do país e das diásporas? Simplesmente é enrolar num cantinho e chorar, porque há coisas na Eurovisão que nunca vão mudar. Claro que normalmente essas boas que ficam pela semifinal são as nossas preferidas.

14. Quando a nossa preferida fica em último lugar na semifinal




Porque já não era mau o suficiente ela não ter passado à final, ainda tem que ficar em último na semifinal? Mas somos nós que somos surdos ou simplesmente temos um gosto demasiado requintado?

15. Quando a nossa preferida vai atuar numa péssima posição na final



Ah, vão fazer o sorteio. Ah, a nossa preferida vai ser a primeira a atuar na final. Bem, provavelmente quando chegarmos ao fim das vinte e tal músicas já nem nós nos lembramos dela, quanto mais quem não é muito fã da música.

16. Quando a meio da votação já se sabe quem ganhou



Então, mas não era para ter emoção? Onde é que está a piada de estar a ver uma votação, ver que ainda faltam mil países votar mas já sabemos que fulano de tal ganhou? Isso significa que já podemos desligar a televisão e ir para a cama?

17. Quando a nossa preferida ganha o televoto... mas mesmo assim não ganha!



Porque não queremos saber da opinião dos júris! Eles são uns inúteis e não sabem no que votam! O público é soberano, o público é que gasta dinheiro, o povo é que sabe! É, meus amigos, mas no final das contas a nossa preferida continua a não ter ganho e só nos resta lidar com o melão.

18. Quando a música vencedora é uma coisa odiosa




Os melões nesta altura do campeonato já são bem grandes. Não se pode agradar a todos não é verdade? Mesmo assim, é impossível não amuar, não ficar aziado e não querer desistir de ver o concurso. Felizmente, no ano seguinte voltamos todos à carga.

19. Quando aquela música que odiamos fica melhor qualificada que metade do nosso top5



É assim, podemos aguentar ver uma música do nosso top5 flopar. Tudo bem, acontece. Podemos ver duas, vá, ainda temos estômago para isso. Agora quando metade fica numa posição desgraçada e ainda temos aquela música desgraçada na frente deles todos? Não, lamentamos, mas não dá!

20. Quando um concurso que devia juntar as pessoas só causa confusões entre elas



Este provavelmente é o mais deprimente de todos. Porque a Eurovisão nasceu para juntar os países por causa de um conflito, porque é que de repente andamos todos à batatada? 

Imagens: wiwibloggs
04/07/2016

Autor da publicação:


O resto da equipa do "ESC Hit List":

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.