Apreciações Musicais - ESC 2018: Polónia



Gromee feat. Lukas Meijer - "Light Me Up"



André Sousa: Com um instrumental bastante energético, a Polónia apresenta-se este ano no certame com algo muito diferente do ano passado. Acredito que esta canção possa fazer mexer muita gente que irá assistir ao evento, contudo não o suficiente para a levar à final.

Andreia Valente: “Light Me Up” é um guilty pleasure. A canção, em si, é agressivamente genérica, mas é catchy e resulta muito bem. 

Catarina Gouveia: A minha aversão a este género de músicas e a esta em específico é algo que não consigo articular numa frase de forma razoavelmente educada. Detesto, abomino, sinto repulsa. Pior música do ano.  

Daniel Fidalgo: Aquela base eletrónica básica, que eu não aprecio muito. Acho que já está usada, abusada e ultrapassada. Não percebo o favoritismo disto.  

Diogo Canudo: A primeira vez que ouvi esta música foi quando estava a ver o seu vídeo oficial, e de facto gostei muito. É uma música de verão, alegre e com uma boa energia. O instrumental pós-refrão é excelente e só me apetece abanar a cabeça quando a oiço.

Elizabete Cruz: Um pop desinteressante e mais do que visto que a mim não tem jeito de cativar. Para colocar isto na minha playlist teria que ser muito bem paga. 

Jessica Mendes: Não é de todo o meu estilo de música mas o início é girinho e, apesar de o refrão ser fraco, vai pôr toda a gente a cantar em Lisboa.


João Vermelho: É novo hit do verão, mas a mim não me convence, não gosto deste tipo de música super eletrónica.

Neuza Ferreira: Gosto bastante deste instrumental. É moderno e fresco!

Patrícia Leite: Um instrumental pop atual bem conseguido, com uma leve batida no início e que vai progredindo à medida que avança. No entanto, não consegue ser “explosivo”. Parece que chega ao refrão e estagna. 

Pedro Anselmo: A Polónia traz um instrumental moderno e dinâmico, mais eletrónico, que poderia ser um hit de verão. Não é algo que possamos dizer que seja diferente do habitual, já que é algo que já ouvimos muitas vezes, seja na rádio ou no set de algum dj num festival de música.

Pedro Lopes: Sinto que sou dos poucos que acaba por realmente apreciar “Light Me Up”. Acaba um pouco por ser o tipo de música comercial que fica viciada nos nossos ouvidos, nas múltiplas viagens de carro que fazemos por semana. Mas mesmo assim, é uma música catchy, bem construída, alegre!

Tiago Lopes: Parece um hit de Verão, tem um bom feeling. 


André Sousa: Não há muitos reparos a fazer à voz, pois o tema também não exige muito.

Andreia Valente: Lukas Meijer não precisa de ter uma voz espectacular, tem a voz apropriada para “Light Me Up”.

Catarina Gouveia: Ainda bem que a Polónia deu a chance a esta pobre alma, porque no seu país (Suécia) ninguém lhe pegava. Já imaginaram o quão mau é não conseguir acertar no tom da própria música? Eu tinha vergonha.

Daniel Fidalgo: Ao vivo Gromee é desafinado e precisa de trabalhar o suporte vocal e, obviamente, a afinação. 

Diogo Canudo: O vocalista tem alguns deslizes vocais e nota-se que não está confortável nas partes mais baixas da canção. Compensa, porém, no refrão. É preciso mais algum trabalho vocal.

Elizabete Cruz: Pelo menos o moço sabe cantar, mas ele não salva a música. Merecia uma coisa que se destaque mais, e não algo que fosse para o saco do “é só mais uma”.

Jessica Mendes: É um desperdício usar um timbre destes numa música assim.

João Vermelho: O Lukas Meijer pareceu-me seguro na atuação da final nacional.

Neuza Ferreira: Adoro a voz do intérprete. Tem um timbre bonito e soft. As intérpretes do coro também têm uma voz bastante melódica.

Patrícia Leite: A voz apresenta uma certa rouquidão que faz com que se adeque a este instrumental. Apesar disso, o intérprete mantém uma voz segura durante toda a atuação ao vivo, contudo por vezes apresenta algumas desafinações. De resto não se espera muito mais desta canção. 

Pedro Anselmo: A voz é fraquinha, terá de melhorar muito.

Pedro Lopes: Okey, vamos pôr um pouco de lado a atuação ao vivo, sim? Eu mantenho a esperança que, em primeiro que tudo, vão ACABAR com aquele coro, da final nacional. Em segundo, acredito que o Lukas Meijer está a praticar a sua capacidade vocal para as atuações ao vivo. É que ele soa tão bem na versão estúdio!!

Tiago Lopes: Consegue fazer o seu trabalho, que é cantar e transmitir a mensagem. 





André Sousa: Espera-se uma presença energética, interactiva e descontraída. Caso contrário poderão deitar tudo a perder. 

Andreia Valente: A razão por “Light Me Up” ter ganho na Polónia é porque todos os indivíduos no palco demonstraram imensa personalidade e à-vontade: Gromee, Lukas e, especialmente, as backing vocals. Espero que assim permaneça..

Catarina Gouveia: Noruega 2017 fê-lo melhor, mesmo sendo péssimo. 

Daniel Fidalgo: Na final nacional foi bastante pobre. Mas por mais brilhante que seja a atuação em maio, vou continuar desinteressado pelo tema. 

Diogo Canudo: O ponto mais fraco desta proposta passa exatamente por aquilo que acontece em palco. Eu gostava muito desta música até vê-la em palco. A forma como é apresentada é foleira, azeiteira, a forma como os coros comunicam também o é e o vocalista parece que se perde no meio de tanta gente. É preciso um esforço maior por parte da Polónia para ser tida em conta na altura das votações.

Elizabete Cruz: Não dá para negar que o vocalista tem carisma e tenta cativar o público. Talvez isso acabe por lhe render mais uns pontos.

Jessica Mendes: Fórmula Noruega 2017 que, sabe-se lá como, funcionou muito bem no ano passado. Intriga-me o porquê de ele ter uma guitarra quando eu não oiço guitarra nenhuma no instrumental. 

João Vermelho: Não será nada demais, algo semelhante com a Noruega no ano passado, o Gromee a fazer de DJ e o Lukas a cantar.

Neuza Ferreira: Espero que apostem em bons planos de câmara. Sinceramente, até estou com medo do que poderá surgir, pois sinto que é muito fácil estragar a proposta no que toca a este aspeto.

Patrícia Leite: Há um certo à vontade entre todos, contudo não gosto muito de ver a posição das backing vocals parece que não têm lugar certo no palco. Dá a sensação de haver um pouco de desorganização. 

Pedro Anselmo: A atuação na final nacional foi muito “awkward” e desorganizada, têm de melhorar neste aspeto. Algo ao estilo da Noruega 2017 seria bom para esta canção.

Pedro Lopes: Por favor, não façam o mesmo que fizeram na final nacional! Eu até gosto muito da música, mas aquilo não. Nem apontem muitas as vezes a câmara ao Groome. Ou então, alguém o ensine a como reagir quando as luzes dos holofotes caem sobre ele!

Tiago Lopes: O intérprete é bastante carismático e consegue cativar o resto do público, deverá ser esta a base para o palco da Eurovisão.


André Sousa: Outra letra que também não me diz muito. Ok que pode ser bastante positiva, mas pessoalmente não me seduz. 

Andreia Valente: Arroz, mas arroz barato que toda a gente come.

Catarina Gouveia: “Agora acende-me, bebé” e anda meio mundo a reclamar das canções do Somos Portugal.

Daniel Fidalgo: Tal como este tema, é mais pobre que a minha carteira no final do mês. 

Diogo Canudo: “Light Me Up” é um pedido de ajuda a um amor que o vocalista quer que realmente aconteça. Não desgosto, no entanto não traz nada de novo e original para o concurso.

Elizabete Cruz: Nem sei como não dão o Nobel da Literatura a quem escreveu isto. Tão complexa, tão inspiradora... não é fácil usar tão intensivamente a expressão “Light Me Up!”.

Jessica Mendes: Como em todas as músicas deste tipo temos uma letra desinteressante e repetitiva até mais não que depois não nos sai da cabeça.

João Vermelho: Letra super genérica, mas o refrão acaba por ficar na cabeça.

Neuza Ferreira: Fica no ouvido, mas não é nada de especial. Aliás, é uma repetição constante.

Patrícia Leite: A letra transmite uma mensagem de liberdade, que está de acordo com o instrumental de certa forma. 

Pedro Anselmo: Nada de especial, é banal e repetitiva.

Pedro Lopes: Porque é que esta gente anda toda a fazer letras de músicas que se encaixam no dia a dia de qualquer pessoa? Fazem-nos pensar até que a letra ‘foi escrita a pensar em mim’. É essa a estratégia, afinal?

Tiago Lopes: Mais uma vez, bastou uma dúzia de frases e fez-se uma música. Nada de impressionante. 


André Sousa: Tenho grandes dúvidas de ver a Polónia a pisar, este ano, a final do certame. 

Andreia Valente: Acho que vamos ter a Polónia na final.

Catarina Gouveia: O mundo está podre - passa à final e fica no bottom 5.

Daniel Fidalgo: Por mim ficava no último lugar da sua semifinal. 

Diogo Canudo: Não acredito que passe à final.

Elizabete Cruz: Se passar é só mesmo por ser a Polónia.

Jessica Mendes: Vai à final mas fica nos últimos lugares da final. 

João Vermelho: Acredito que passa à final facilmente e talvez um top 15.

Neuza Ferreira: Fica pelos últimos lugares na final.

Patrícia Leite: Apesar de todo o esforço, ficar-se-á pelos últimos lugares da final.

Pedro Anselmo: Se passar à final é uma sorte.

Pedro Lopes: O televoto vai continuar a salvar a Polónia de mais um boicote do júri, cheira-me…

Tiago Lopes: Passa à final.





André Sousa: 5 pontos.

Andreia Valente: 7 pontos.

Catarina Gouveia: 0 pontos.

Daniel Fidalgo: 4 pontos.

Diogo Canudo: 6 pontos.

Elizabete Cruz: 1 ponto.

Jessica Mendes: 5 pontos.

João Vermelho: 6 pontos.

Neuza Ferreira: 6 pontos.

Patrícia Leite: 6 pontos.

Pedro Anselmo: 3 pontos.

Pedro Lopes: 8 pontos.

Tiago Lopes: 4 pontos.

Total: 61 pontos


André Sousa: Ouve-se, repete-se mas… não cativa.

Andreia Valente: Um sueco a representar a Polónia: “Se não consigo entrar no Melodifestivalen vou representar alguém que me dê valor".

Catarina Gouveia: Light me up? Podemos antes apagar esta tenebrosidade do mundo para sempre?

Daniel Fidalgo: Ótima canção para passar em festas académicas. 

Diogo Canudo: Uma música que tem vindo a descer na minha consideração.

Elizabete Cruz: “And tell where to goo”… vai para casa, por favor! 

Jessica Mendes: O nível de relevância desta música na minha vida é tanto que nem tenho frase para a descrever.

João Vermelho: Acho que os países nórdicos não vão gostar desta canção por inveja de não terem um verão como deve ser.

Neuza Ferreira: Baby, diz-lhe mas é para onde ir que isto já se está a tornar insuportável.

Patrícia Leite: Foi falta de inspiração.

Pedro Anselmo: Bem precisam de uma luz que os guie…

Pedro Lopes: A seguir a maio é logo Verão, e esta música cai na perfeição!

Tiago Lopes: Light me up, mas não mandes fumo para cima de mim.


1.º Estónia - 144 pontos; 2.º Finlândia - 117 pontos; 3.º Bélgica - 115 pontos;  4.º Israel - 112 pontos; 5.º Áustria - 107 pontos; 6.º Dinamarca - 106 pontos; 7.º Bulgária - 105 pontos; 8.º Grécia - 103 pontos; 9.º Arménia - 100 pontos; 10.º Holanda - 88 pontos; 11.º República Checa - 86 pontos; 12.º Suíça - 83 pontos; 13.º Austrália - 82 pontos; 14.º Hungria - 81 pontos; 15.º Noruega - 79 pontos; 16.º Lituânia - 77 pontos; 17.º Albânia - 76 pontos; 18.º Chipre - 75 pontos; 19.º Letónia - 75 pontos; 20.º Montenegro - 73 pontos; 21.º Macedónia - 70 pontos; 22.º Azerbaijão - 69 pontos; 23.º Sérvia - 68 pontos; 24.º Croácia - 66 pontos; 25.º Roménia - 65 pontos; 26.º Irlanda - 61 pontos; 27.º Polónia - 61 pontos; 28.º Malta - 60 pontos; 29.º Eslovénia - 57 pontos; 30 Rússia - 56 pontos; 31.º Geórgia - 49 pontos; 32.º Bielorrússia - 48 pontos; 33.º Moldávia - 43 pontos; 34.º São Marino - 42 pontos; 35 Islândia - 31 pontos. 

Vídeo: Eurovision Song Contest

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.