ESC 2018: "eles fazem negócios com os votos do júri"


Um dos membros do grupo Balkanika, Mladen Lukić, que representou a Sérvia no Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2018, afirmou ter visto compras de votos entre os júris.

Mladen Lukić, um dos integrantes do grupo sérvio que representou o país no Festival Eurovisão da Canção (ESC), revelou que viu votos a serem comprados por júris diferentes durante esta edição de 2018. O cantor afirmou: "Eu vi a compra de votos entre as delegações de países muito sérios. (...) Isto geralmente acontece nos hotéis. (...) Eles fazem negócios com os votos do júri. Eu estava sentado ao lado da delegação quando um homem chegou e eles fizeram acordos com outro país".




Esta não é a primeira vez que se fala em compra de votos no certame. Em 2013, foi revelado que a delegação do Azerbaijão comprou vários cartões de telemóvel para aumentar seu os votos do televoto.

A European Broadcasting Union (EBU) já se pronunciou sobre o assunto: "A EBU, bem como um auditor externo, analisa rigorosamente todos os pedidos para os jurados, em estreita consulta com os radiodifusores. Todos os jurados assinam um acordo com a EBU antes de participar, confirmando que permanecerão imparciais e que votarão estritamente nos desempenhos dos espetáculos que julgarem. Há também um procedimento pelo qual são realizadas inspeções aleatórias, que ocorrem em determinados locais do júri durante o processo de votação".

Fonte: Eurovoix; ESCXTRA/Imagem: ESCXTRA

Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.